Mulher triste

Principais Causas do Medo de Amar – Filofobia

Já ouviu falar em filofobia? Trata-se de um transtorno em que as pessoas não conseguem trocar beijos ou carícias, criando um bloqueio para situações de relacionamentos amorosos e afetivos. Quem sofre desse medo de amar geralmente são pessoas que tiveram traumas em relacionamentos passados e desilusões amorosas e simplesmente não conseguem esquecer e se desapegar dessas memórias e da dor.

Muitas pessoas podem sofrer e muito com término de relacionamentos, inclusive passando por certa depressão até se reerguer e prosseguir com a sua vida, isso é natural, mas pessoas que sofrem de filofobia costumam ter sintomas mais fortes inclusive físicos como boca seca, náuseas, respiração ofegante, falta de ar, sudorese, ataque de pânico, mãos trêmulas, crise de choro e outras variações quando pensam em se envolver em outro relacionamento.

Pelo medo da rejeição, essas pessoas que têm medo de amar evitam qualquer tipo de envolvimento afetivo, se desesperando apenas com a ideia de isso vir a ocorrer. Se a doença não for tratada, as pessoas podem evitar a todo custo o casamento por medo do divórcio ou crises. Por isso, quem sofre de filofobia deve procurar ajuda de um psicólogo e psiquiatra para que encontrem as causas desse medo e curem. Veja abaixo quais são as principais causas de medo de amar.

Decepção amorosa

A maior causa da filofobia é quando uma pessoa já sofreu uma decepção amorosa em algum período da sua vida. Quando você é traída ou alguém que você tem muito apreço termina com você, você fica sem chão, parece que tudo à sua volta vai se dissipar e sucumbir, porém, essa sensação tende a melhorar com o tempo. Falam que o tempo cura tudo, não é?

Geralmente sim, por mais que demore, mas se mesmo com o passar do tempo as feridas continuarem latentes e ardentes como se fossem recentes e isso te impedir de seguir em frente com sua vida, conhecer novas pessoas e se envolver afetivamente novamente, pode ser que você sofra de filofobia. Com a decepção amorosa você não consegue confiar em mais ninguém e insiste em comparar todos os seus novos parceiros com as pessoas com as quais se envolveu, por mais que sejam completamente diferentes.

Você tende a disseminar aos quatro cantos que todos os homens são iguais, que nenhum deles a completará como você precisa e que, por mais incrível que possa parecer em um primeiro momento, cedo ou tarde ele irá partir seu coração. Viver nessa expectativa de que algo ruim vai acontecer e que você não pode se entregar completamente a ninguém não é nada saudável. Isso pode interferir no seu bem estar físico e mental, atrapalhar o seu desempenho no trabalho, estudos e nas relações que você mantém com seus entes queridos (familiares e amigos).

Para superar isso você deve saber que todos passam por decepções amorosas e que todos conseguem seguir em frente, esquecendo o passado e se permitindo.

Amor verdadeiro só existe um

Uma outra causa, parecida com a decepção amorosa, é a de ter tido um amor intenso, forte e verdadeiro e acreditar que aquele foi o único da sua vida. Existem mulheres que acreditam em amor verdadeiro e alma gêmea e, quando encontram aquele homem que dizem ser o escolhido, aquele que irá permanecer o resto da vida, que proporciona tudo que ela precisa para ser feliz e a preenche completamente, sentem como se fossem insubstituíveis.

Claro que cada pessoa difere da outra e nenhum relacionamento é igual, mas isso não significa que você não encontrará nunca ninguém melhor ou terá um relacionamento tão feliz quanto o que teve.

Na verdade, não se trata do “melhor”, mas sim do suficiente para te fazer realizada e feliz. O próximo relacionamento que você tiver não precisa ser o melhor, apenas precisa ser saudável para você. Se uma mulher perde um parceiro que imaginava ser o verdadeiro, sua alma gêmea, ela tende a se fechar e ficar desacreditada do amor, como se não fosse ter mais ninguém na sua vida, e desenvolve um certo medo de amar novamente.

Ter esse pensamento é o primeiro passo para realmente não encontrar ninguém. A mulher precisa aceitar o que ocorreu e saber que isso não é o fim, que muitas possibilidades virão, assim como irá conhecer outras pessoas interessantes pelo caminho.

Baixa autoestima

Uma outra causa para o medo de amar, um pouco menos comum, é baixa autoestima em excesso. Mulheres que não estão satisfeitas com seu corpo ou com sua personalidade tendem a ter a autoestima muito baixa e isso atrapalha o envolvimento amoroso. O medo de amar pode ter origem nessa falta de amor próprio.

Se uma mulher não consegue enxergar seus atributos físicos, seus pontos fortes, qualidades, provavelmente ninguém também irá enxergar. Essa sensação de desprezo próprio pode fazer com que ela se feche e desista do amor, imaginando que nunca encontrará ninguém que a aceite e goste dela como ela é. Em alguns casos, este fato é um motivador para que ela cresça e fique mais bonita, mas em outros, isso pode fazer com que ela se afunde mais ainda, se feche em um casulo sem dar abertura para ninguém se envolver.

Como vencer o medo de amar?

Em algum momento, todo mundo irá passar por uma desilusão ou se sentir para baixo e mal com um término e é preciso saber como vencer o medo de amar. Na verdade, não existe uma fórmula exata e nem um medicamento que resolva esse problema. O principal antídoto para essa fobia é você mesma.

Você não deve se isolar e evitar a convivência social. Ter pessoas queridas próximas a você é muito saudável para seu convívio. Sendo assim, interaja com os seus amigos e se permita conhecer novas pessoas. O mundo está cheio de gente interessante e conhecer mais pessoas não significa que você precisa se envolver afetivamente com elas. Faça isso pelo prazer de conversar, pois em algum momento, quando você menos esperar, você pode encontrar um outro alguém que te complete. E, se não encontrar, não importa, viva a sua vida, fazendo as coisas que gosta de fazer e sendo feliz sem depender de ninguém, apenas com muito amor próprio.

RECOMENDADOS PARA VOCÊ

Você já passou por um momento de desilusão muito grande que acabou desenvolvendo um certo medo de amar? Acredita que pode estar sofrendo da filofobia? Comente abaixo!

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (4 votos, média: 4,25 de 5)
Loading...

10 comentários

    • Ótimo texto. O mais importante na minha vida SOU EU. Quando cair a primeira vez foi certamente muito difícil. Com filhos pequenos, foram embora. Chorei, sofri muito, mas também cresci. voltei a envolver por mais duas vezes. Tudo em vão. Hoje vivo só mas feliz. Hoje sinto medo de envolver com alguém. Prefiro viver com a solidão. Ela sempre será a minha companhia.

  1. poxa, eu me arrumo, e faço o que posso para me sentir bonita, algumas pessoas me elogiam, mas eu não consigo ter um relacionamento.
    quando eu era criança, meu irmão mais velhos abusou de mim, e eu acabei me fechando para os homens, eu os vejo como crianças e não como homens de vdd, quando percebo que algum cara esta afim de mim, eu instintivamente tento ser inconveniente só para ele se desinteressar.
    eu realmente não sei por que faço isso, não é algo proposital simplesmente acontece, quando eu era adolescente eu pensava que era lésbica (nada contra) , mas isso passou. EU QUERO AJUDA!

  2. Já e estou passando por isso, um medo doido de me relacionar de novo. Falo q sou melhor como amiga e uma porcaria como parceira. Mas depois de ler o artigo vi q desencadeei outro mal..

  3. como posso fazer para mulher que tem medo de amar pois ela foi traida e sofre e ouve uma uma pasagem pela depressao
    mas apesar de tudo amo ela e quero ajudar ela a superar isso como posso provar que ela pode amar e confiar novamente que nao sou capz de fazer se que algum mal a ela

  4. sempre me achei esquisita, mas depois da separação me enti a pior, e algumas pessoas já me chamaram de feia até quando criança, sempre tive medo de me envolver, pois sei que não sou bonita, tenho muita vergonha de meu corpo, mas agora acho que é tarde para me envolver com alguém..

  5. Excelente texto….maaaasss….prefiro ficar sozinho mesmo…… kkkkkkk

  6. Césia Maria França França

    Eu já fui trocada por outra mulher no primeiro casamento e foi dificil a superacao e na segunda relação eu fui traids…E daí eu não confiar no amor…

  7. Césia Maria França França

    Eu já fui trocada por outra mulher no primeiro casamento e foi dificil a superacao e na segunda relação eu fui traída…E daí eu não confio mais no amor…

Deixe uma resposta

Seu email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *

*