Resort nudista

“Eu Levei Meu Marido a um Resort Nudista – E Foi Isso o Que Aconteceu”

“Eu e meu marido nos consideramos um casal super moderno, então decidimos nos inscrever para passar um fim de semana com nudistas e swingers. O que poderia dar errado?

Eu raramente converso com homens nus sobre política, mas talvez eu deveria; com essa viagem percebi que se algum dia nós conseguiremos resolver os problemas do mundo, isso provavelmente irá acontecer em um deck de piscina privado isolado, em Cancún.

Quando fui convidada para visitar o “Desire Resorts” como jornalista, a primeira coisa que fiz foi abrir o site do lugar, onde aprendi que tanto o “Desire Riviera Maya Pearl” quanto o “Desire Riviera Maya” apresentariam a mim um ambiente sexy, “roupas opcionais, aceitamos apenas casais”. Na minha cabeça, essa frase poderia ser facilmente traduzida para “swingers nudistas”, o que me parecia um pouco aterrorizante. E então, meu marido e eu fomos convidados a visitar esse local durante um fim de semana em que iríamos comemorar seis anos de casamento.

Eu perguntei ao meu marido se ele queria ir e recebi um retumbante “Sim!” Quem não quer visitar um resort totalmente ostentação em Cancun, não é mesmo? Além disso, se nos sentíssemos estranhos com o ambiente, poderíamos apenas nos esconder no nosso elegante quarto de hotel, certo? Melhor dos mundos.

Antes de chegar ao resort, meu marido e eu conversamos basicamente sobre nossas expectativas – das quais não tivemos nenhuma. Nunca tínhamos ido a um resort onde a “roupa era opcional, e que só aceitava casais”, então não havíamos entendido ainda exatamente onde estávamos nos metendo.

Naquela primeira tarde, meu marido e eu nos vestimos com nossos trajes de banho e nos dirigimos para a piscina gigantesca junto à praia para saborear um bom champanhe e brindar nosso aniversário de casamento – e nós éramos os únicos que não estavam nus! Eu estava irritada por todos os seios e pênis olhando para mim na piscina. Não é fácil lembrar os nomes das pessoas enquanto elas estão totalmente nuas.

Depois de seis horas ficando cercada por pessoas nuas, meu marido decidiu abraçar a tendência (sim, eu perguntei a ele várias vezes se ele havia passado protetor solar lá).

Eu finalmente fiquei de topless, mas nunca senti como se isso fosse algo obrigatório: neste local, as pessoas estavam simplesmente peladas e estavam muito bem com isso, sem pressão, sem julgamentos. Além disso, quando você chegava ao resort, você tinha que assinar um contrato em que concordava que “não significa NÃO” em letras enormes, e isso acontecia tanto para homens quanto para mulheres, e esse também parecia ser um lugar onde as mulheres exerciam a maior parte do controle, então realmente não me senti pressionada, o que é ótimo.

Os homens que conheci eram tranquilos; as mulheres eram amigáveis, mas muito mais agressivas. Eu ficaria muito irritada com a aproximação das mulheres ao meu marido em um ambiente comum, mas não me incomodei tanto com saudações e sorrisos um pouco “além”, uma vez que estávamos em um local muito diferente e que meu marido não respondia a esse tipo de investida.

Quando eu estava de topless, um dos nossos novos amigos perguntou se ele poderia me dar um abraço. Em vez de achar ruim, eu acabei achando engraçado, porque tudo parecia tão seguro, normal e confortável, e eu realmente havia me acostumado a ficar nua e a encarar isso com uma maior naturalidade. Mesmo a noite em que passamos nadando em uma jacuzzi ao ar livre até as 3 da manhã durante uma tempestade de relâmpagos pareceu tranquila, e isso é uma ótima metáfora que mostra como estávamos tranquilos e satisfeitos nesse ambiente.

À medida que meus instintos jornalísticos começaram, perguntei muito aos outros convidados sobre o estilo de vida nudista/swinger. Acabei descobrindo que eles eram igualmente curiosos sobre mim, já que meu marido e eu não vivemos “o estilo de vida”. Ninguém estava tentando me convencer a ir para a cama; mas eles honestamente queriam entender por que não estaríamos dispostos a tentar algo que funcionava tão bem para eles.

Graças às construções societárias, sempre imaginei que meu marido deveria ser o suficiente para me manter satisfeita. Seis anos depois de nosso casamento, ele certamente é. Isso vai continuar depois de 20 anos de casamento? Eu espero que sim, mas se precisar de mais, os casais com quem conversamos no Desire certamente têm uma dica de como manter o relacionamento saudável.

Embora todas as pessoas com mais de 21 anos sejam bem-vindas no resort, a maioria dos casais que conheci estava entre os 40 e 70 anos e estavam casados há pelo menos 15 anos. Na maioria dos casos, os casais que encontrei por lá estavam profundamente apaixonados, o que mostra que esse tipo de vida não é baseado em apenas uma vontade de fazer sexo com estranhos, e muito menos em adicionar alguma emoção a mais ao casamento.

Meu marido e eu fomos para essa viagem com nossas mentes abertas, dispostos a tentar qualquer coisa que quiséssemos. Nós não combinamos nenhuma regra, concordando, em vez disso, em ir com o fluxo e conversar sobre isso enquanto estávamos no resort, mas ainda assim não fomos muito longe.

Nós assistimos a muitos outros casais fazendo sexo, o que foi bastante excitante, mas se você pensa que esse tipo de local é apenas isso (sexo), não é assim que acontece. Existem áreas designadas para tal, e ninguém estava fazendo sexo nos restaurantes ou no meio do lobby.

Meu marido e eu acabamos fazendo sexo em uma área pública, mas não convidamos outro casal para o nosso quarto e nem fizemos uma troca de casais. Não declaramos isso como algo fora dos limites, mas o maior obstáculo era que devíamos encontrar o que funcionasse para nós dois, de maneira justa. Em certo momento, meu marido se sentiu atraído por uma mulher, mas eu e o marido dela não sentimentos o mesmo, então nada aconteceu.

No final das nossas férias, meu marido e eu ficamos muito satisfeitos com todas as conversas e risos, e percebemos que realmente nos divertimos. Nós nos tornamos completamente acostumados a roupas neutras em termos de gênero e com a nudez em si.

Embora não tenhamos tido relações sexuais com mais ninguém, quase não resistimos em alguns momentos como quando lambi a calda de chocolate da barriga de outra mulher, enquanto flutuava em cima de uma festa de espuma e beijei quatro pessoas que provavelmente nunca mais veremos, entre outros momentos que foram tranquilos e sem maiores acontecimentos.

Mas o que mais me impressionou foi a aceitação geral. Não houve problemas com vergonha ou com a minha imagem corporal ou com a dos outros. Todos se sentiam bonitos e bem, não necessariamente graças a um corpo super malhado ou a uma bunda fantástica, mas porque estavam se divertindo, estavam felizes, e aceitavam isso de uma maneira impressionante, sem amarras. Tudo nessa experiência me deixou feliz e confortável com meu casamento e comigo mesma.

Desde que nossas férias acabaram, tive problemas para me reintegrar à sociedade “normal”. Parece estranho que todos estejam vestindo roupas e correndo tanto com a vida. A minha vida sexual com o meu marido também passou a ser muito melhor, porque ainda estamos empenhados em nossas lembranças das férias e principalmente daquela jacuzzi. Nós até discutimos olhar alguns clubes apenas para casais em nossa cidade.

Embora o nosso fim de semana de aniversário de casamento possa ter nos tornado fãs do sexo em público, duvido que nós iremos nos tornar um casal realmente adepto desse estilo de vida. Ainda assim, Cancún foi uma aventura que não me arrependo. No Resort Desire, as roupas eram como uma prisão, e a vida era como um sonho: um sonho em que tudo é sexy e onde o lubrificante à base de silicone é seu melhor amigo.

Você pensa em arriscar uma aventura sexual como essa com o seu parceiro ou jamais faria igual? Acha que ele gostaria da ideia? Comente abaixo!

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (2 votos, média: 5,00 de 5)
Loading...

Deixe uma resposta

Seu email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *

*