Assexualidade

Como Entender as Pessoas Assexuadas

Pouco se fala sobre as pessoas assexuadas, e é por isso que aqui verá várias informações para que possa entendê-las.

O que é a assexualidade?

Quando se fala sobre a assexualidade na espécie, faz-se referência ao interesse nulo que qualquer um dos dois sexos pode sentir em relação à reprodução. No caso dos seres humanos, trata-se da falta de atração sexual e do interesse geral na atividade sexual.

Alguns estudos consideram que a assexualidade pode ser entendida como um tipo de orientação sexual que está presente mais entre os seres humanos. Outros exemplos de orientação sexual seriam a bissexualidade, a homossexualidade ou a heterossexualidade. No entanto, outros estudos consideram que a sexualidade é uma completa falta de orientação sexual.

Em 2004, o professor de Saúde Comunitária e Psicologia da Universidade de Brock em Ontário, no Canadá, realizou um estudo que concluiu que 1% da população do Reino Unido era assexuada.

A assexualidade não deve ser confundida com celibato ou abstinência sexual. Estes últimos dois comportamentos não implicam que não há desejo sexual como acontece com a assexualidade. Nesses casos, as crenças religiosas ou pessoais de cada indivíduo os levam a tomar essa decisão. Já a assexualidade é a falta de interesse no sexo, o que não tem nada a ver com isso.

A assexualidade não implica que esses indivíduos não pratiquem sexo. Muitos deles, por crenças pessoais, decidem praticá-lo. As razões mais comuns pelas quais os assexuados costumam praticar sexo são o desejo de ter filhos ou o amor pelos seus parceiros.

Não ter desejo sexual não significa que não terá relações sexuais, já que a grande maioria se vê obrigado a praticar sexo para que seus parceiros sejam felizes.

A assexualidade foi recentemente aceita como um tipo de orientação sexual e também como campo de pesquisa científica. Por esta razão, ainda há algum desacordo entre os especialistas sobre se é ou não realmente um tipo de orientação sexual.

Atualmente, não há estudos suficientes para chegar a um consenso. No entanto, hoje em dia tornou-se um assunto que está começando a ser muito estudado e que irá gerar muitas novas descobertas.

Existem variações dentro da assexualidade?

Sim. Atualmente, considera-se que dentro da assexualidade existem muitas de variações diferentes. Essas variações são graus em que as pessoas assexuadas se mudam. O mais conhecido é sem dúvida a sexualidade-cinza ou área cinza.

Os indivíduos que se enquadram neste termo são aqueles que se movem entre as águas da sexualidade e da assexualidade. Quando uma pessoa é considerada da área cinza, ela geralmente está mais perto da assexualidade que da sexualidade. 

Dentro da sexualidade cinza, há várias ramificações. As mais conhecidas são:

  • Arromantic: pessoa com nenhuma ou quase nenhuma atração romântica.
  • Romantic: que tem sentimentos amorosos com alguém, mas não tem desejo sexual.
  • Demisexual: que só sente atração sexual por uma pessoa se tiver uma forte ligação emotiva.
  • Heteroromantic: tem atração romântica por pessoas do sexo oposto, porém não sente desejo sexual.
  • Grey-A: pessoas que praticamente ficam no meio termo, por exemplo, elas podem não sentir desejo sexual porém o experimentam de vez em quando, ou sentem muito pouco, ou em situações bem limitadas e específicas. 
  • Homoromantic: atração romântica por pessoas do mesmo sexo mas sem desejos sexuais.
  • Biromantic: atração por pessoas de ambos os sexos mas sem desejo sexual.
  • Polyromantic: atração romântica por várias pessoas do mesmo sexo mas sem contato sexual.

Embora os assexuais não sintam atração sexual, podem sentir isso em um nível romântico. Essas pessoas querem estabelecer relacionamentos mais próximos com um ou ambos os sexos, até chegarem a formalizar um casamento ou um relacionamento duradouro. No entanto, eles não sentem desejo sexual para com o seu parceiro. Eles estão procurando bons companheiros.

Como entender as pessoas assexuadas

Compreender as pessoas assexuadas não é algo simples. Exige ter uma mente aberta e muito respeito pelos outros. Para entender as pessoas assexuais, é importante estudar e pesquisar sobre o assunto. Por isso, veja agora algumas instruções para entender as pessoas assexuadas. 

1. Antes de criticá-las, tente entender as pessoas assexuadas

Um dos piores erros que podem ser cometidos com pessoas assexuadas é a crítica. Não é apropriado se “meter” na vida de alguém, principalmente se você não a entende.

A melhor maneira de entender as pessoas assexuadas é ler os estudos, pesquisar e escutá-las. Pense que uma pessoa não escolhe ser assexuada, mas é assim que ela se sente em relação às outras. 

Os assexuais não possuem atração sexual, mas existem diferentes graus e tipos. Dentre eles, podem haver assexuais que tenham desejos românticos, que possam sentir excitação sexual e que possam estar interessados em pessoas de seu próprio sexo ou do sexo oposto. Isso não significa que essas pessoas reprimam seus desejos sexuais, mas sim que elas não os possuem. 

2. Aprenda sobre os diferentes graus de assexualidade

Como dito anteriormente, a assexualidade começou a ser estudada recentemente. Por esta razão, os especialistas ainda não sabem se consideram um tipo de orientação sexual ou a falta absoluta de orientação sexual. Além disso, como você viu, existem diferentes ramificações e cada uma se sente de uma maneira diferente.

3. A abstinência, o celibato e a assexualidade não são as mesmas coisas e são termos bem diferentes

Quando uma pessoa decide praticar abstinência, isso significa que toma a decisão pessoal de não fazer sexo. Isso não implica que a pessoa não tenha desejos, mas sim que não pratica devido às suas crenças. 

Por exemplo, existem aqueles casais que decidem não praticar o sexo até o casamento, ou o celibato, que está ligado diretamente às crenças religiosas.

Quando se fala de assexualidade, trata-se de pessoas que não têm atração sexual e que muitas vezes também não possuem desejos sexuais. 

No entanto, como explicado anteriormente, existem exceções. Pessoas que sentem um pouco de desejo sexual, que são sexualmente ativas com seus parceiros ou através da masturbação.

4. A assexualidade não é algo que se escolher ser

Um dos principais erros que os casais de pessoas assexuadas geralmente cometem, por não compreender esta situação, é que a assexualidade não é algo que se escolhe, e portanto, não é uma decisão que pode ser alterada, diferente do que acontece com o celibato ou a abstinência sexual.

Você deve ter sempre em mente que uma pessoa assexuada não sente atração sexual, não importa o quanto ela tente ou precise. 

Se um relacionamento deste tipo não o satisfazer, não tente mudar seu parceiro. É claro que não funcionará e que nenhum de vocês se sentirá feliz. É melhor deixar o relacionamento antes que qualquer das partes acabe muito ferida.

Entenda a assexualidade para poder conviver com ela, seja consigo mesma ou com alguém próximo.

Você já sabia o que era uma pessoa assexuada? Conhece alguém assim ou acredita que você pode ser classificada como uma? Comente abaixo!

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (3 votos, média: 5,00 de 5)
Loading...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *