Casal na cama

“Como Transformei Totalmente Minha Vida Sexual para Melhor” – Descubra com Esse Depoimento

Eu sou romântica quando eu quero ser. Ou seja, na maioria das noites eu faço coisas sexy sem nenhum motivo aparente, uso lingeries ou ao menos calcinhas bonitas, e estou sempre cheirosa, por mim e pelo meu parceiro, mesmo que estejamos juntos há mais de três anos.

Porém, em todos os meus relacionamentos românticos passados, eu era a que estava cansada, que tinha dor de cabeça, cólicas, ou só queria assistir ao próximo episódio da novela quando meus parceiros na verdade queriam passar um tempo comigo na cama.

Não me interpretem mal, eu já gostava de sexo, mas eu simplesmente também gostava de tantas outras coisas que não conseguia encontrar um equilíbrio. Eu mostrava o meu amor para os meus parceiros de várias formas diferentes, e realmente achava que eu era uma boa parceira, mas há algum tempo atrás eu descobri que não era bem assim e consegui mudar para melhor.

Nicolas (meu atual namorado) e eu nos conhecemos no primeiro ano da faculdade, e instantaneamente eu estava apaixonada por ele. Mas em meio a tentar descobrir como me sentia sobre um relacionamento a distância em que eu estava, mantivemos isso apenas no nível da amizade, nos encontrando em festas e conversando no bar.

No último ano de faculdade, eu estava pronta para fazer uma mudança, e a partir daí nos aproximamos e pedíamos comida japonesa juntos, fazíamos caminhadas e viagens românticas para qualquer lugar que fosse em um final de semana qualquer.

Eu amo o estilo dele, sua honestidade e seu senso de humor. Seus abraços, seu coração e seus olhos. Ele é um ótimo parceiro para ficar preso no trânsito, o que já mostra muita coisa positiva, já que vivemos a cerca de uma hora um do outro e adoramos viagens de carro ou ônibus.

Quando começamos nossa vida sexual, eu estava pronta para fazer ajustes para encontrar um meio termo feliz entre nossas frequências sexuais que eram diferentes, mas não sabia por onde começar, e eu sabia menos ainda que meu curso técnico em yoga iria me ajudar tanto a melhorar minha vida sexual e que seria a resposta para muita coisa.

Quando eu disse ao Nicolas que meus finais de semana seriam apertados por cerca de cinco meses, ele me apoiou plenamente o tempo todo e disse que poderíamos planejar nosso tempo juntos de acordo com o tempo livre que eu tinha disponível. Então, todas as sextas e sábados eu ia almoçar com ele com meu tapete de yoga nas costas.

Minha professora me ensinou a ásana, a filosofia da yoga, e como integrar o equilíbrio praticado na yoga com nossa vida, com o amor e com a honestidade. Claro, eu estava aprendendo sobre deusas indianas e como fazer meus movimentos de yoga, mas também aprendi ferramentas importantes para manter relacionamentos saudáveis, sobre autocuidado e sobre a comunicação genuína.

Não foi um livro de autoajuda, não foi terapia de casais, eu estava olhando para dentro e encontrando o meu equilíbrio, com o qual eu precisava de grande ajuda. E agora, estou compartilhando exatamente o que aprendi com todos vocês. Aqui, você vai descobrir 5 coisas que aprendi com a yoga e que me ajudaram a encontrar o equilíbrio e que, finalmente, transformaram minha vida sexual.

Tendo conversas mais significativas

No início de cada lição, nossa classe de cinco pessoas sentava-se em círculos com seus tapetes de yoga para conversar sobre nossa semana. Alessandra teve coragem de se inscrever para aulas de culinária? Como foi o novo emprego do Eric?

Compartilhar e conectar tudo fazia parte do treinamento, mesmo que não parecesse yoga. Nós éramos completamente estranhos e entramos em uma jornada espiritual profunda juntos. Criamos um ambiente seguro que acolheu lágrimas, risos e perguntas.

Todos os nossos bate-papos abertos e honestos me fizeram pensar: qual é a qualidade da comunicação no meu relacionamento romântico? Comecei a notar as partes fracas, como as chamadas telefônicas curtas durante o dia sobre o quão cansado ele se sentia ou como eu não sentia vontade de trabalhar. Eu também notei depois, com o passar o tempo, que eu queria recuperar a nossa semana “perdida”, e ele queria, bem, recuperar o atraso.

Então, decidimos abandonar as chamadas apressadas no meio do dia e deixar nossas conversas para as sessões de FaceTime de noite, onde dedicávamos espaço e tempo para conversar sobre o nosso dia. Quanto à recuperação em pessoa, ainda estamos trabalhando para alcançar o equilíbrio perfeito, mas percebo que ambos estamos mais conscientes das necessidades do outro. O que acabou por ser muito sexy e já tinha começado a mudar nossa vida sexual.

Falando com mais clareza

Mal sabia eu, mas ensinar qualquer coisa em uma aula de yoga é muito parecido com ser uma linguista, porque todos na sala entendem as direções de forma diferente. Aprendi que é importante tornar-se criativo e explicar cada posição em algumas frases detalhadas para que a classe inteira se mova na mesma dobra para a frente, por exemplo, e não se agite por completo. Com isso, fiquei muito boa em aprender a falar com mais clareza.

Em vez de simplesmente dizer: “Estou com cólica, não sinto vontade de fazer sexo”, comecei a dizer: “Não aguento mais essas cólicas, é sempre muito ruim quando me sinto assim, fico com dores, não me sinto sexy e não tenho vontade de transar”.

Desta forma, meu parceiro e eu ficamos na mesma página e minha cólica de verdade já não se parece apenas como uma desculpa para não fazer sexo. Esta técnica também me ajuda pessoalmente, porque me obriga a pensar em minhas palavras e ações de alguns ângulos diferentes, para entender melhor como elas podem sair para os outros.

Eu não fazia ideia, por exemplo, de que o meu parceiro tinha se sentido inseguro quando eu disse que não queria sexo porque estava com cólica, tudo isso porque ele achou que fosse apenas uma desculpa, e que eu estava descontente com a nossa vida sexual, mas olhando para minha comunicação unidimensional, eu posso entender melhor como ele pode fazer essa leitura. Temos sempre que ser o mais claras possível, e assim evitar desconfortos e chateações desnecessárias no nosso relacionamento e na nossa vida como um todo.

Aumentando a intimidade

Tenho certeza de que você estava esperando por isso: a prática física da yoga ajudou a nossa vida sexual, claro! E falando sério, minhas pernas, meu tórax e meus braços são muito mais fortes hoje em dia. Meus quadris não puxam tanto e eu ainda tenho mais alcance nas minhas pernas. É realmente mais excitante fazer sexo quando seu corpo consegue fazer mais coisas do que o de costume.

Minha força aumentou e fomos ficando cada vez mais criativos. Uma das minhas preliminares favoritas, por exemplo, é o alongamento entre parceiros, uma forma divertida de jogadas preliminares que fazemos de vez em quando. Deste modo, eu aprendi que não é ruim curtir um ao outro antes de começar algo realmente sexual, e que é assim que se aumenta a intimidade, com abraços e seguradas aconchegantes, e que a intimidade pode vir em muitas formas.

Quando eu expliquei isso ao Nicolas, ele sorriu e disse que adora esses momentos bobos também, e desde a nossa primeira conversa sobre isso, vejo que ele realmente está absorvendo e aprendendo comigo. Antes, os abraços levariam ao sexo. Agora, os abraços têm espaço para existirem sozinhos, e isso só colabora para o nosso sexo, que não precisa necessariamente acontecer naquele momento. É tão bom ter muitos momentos íntimos ao longo de um dia juntos, e nós aprendemos isso.

Parando de fazer sexo quando estamos muito cansados, e ficando bem com isso

Um dia, no meu curso técnico de yoga, nos concentramos no sexo tântrico, uma forma antiga de sexo que liga a mente e o corpo. Eu aprendi uma das razões pelas quais eu continuava dizendo “não” ao sexo durante a noite, e isso acontecia principalmente porque nós dois não estávamos totalmente presentes (porque estávamos exaustos).

Depois de recusar a oferta, meu parceiro sempre ficava chateado, mas em pouquíssimo tempo ele estava dormindo. Eu disse isso a ele, e ele admitiu que me procura mesmo quando está cansado. Eu disse a ele que isso era legal, mas que deveríamos ser mais decisivos.

É claro que isso não quer dizer que agora vamos combinar horários para transar e deixar de ser espontâneos, mas apenas que vamos ser mais conscientes das nossas necessidades atuais e dos níveis de energia um do outro. Agora eu sinto que somos melhores em ler um ao outro e tentar fazer sexo mais cedo depois que chegamos em casa, para que possamos relaxar e dormir bem depois disso. Assim, temos agora uma maior conexão da nossa mente e do nosso corpo, sem noites insanas e cansativas sem dormir, e com um sexo muito mais ou menos.

Celebrando as pequenas conquistas

Uma das lições mais importantes que aprendi com o meu curso técnico em yoga foi que as pequenas conquistas são pura magia, como equilibrar em meia lua por alguns segundos a mais, ensinar uma saudação ao sol sem olhar minhas anotações, entre outras. Ao descobrir isso, eu também aprendi a não levar a yoga tão a sério. E por que tratar a cama diferente de uma esteira de yoga?

Já temos muito a celebrar sobre o fortalecimento da nossa vida romântica, mesmo que não seja perfeito (às vezes, eu ainda quero apenas comer um chocolate enquanto assisto à minha série favorita), mas eu posso ver o amor do meu parceiro por mim em tudo o que ele faz, de cozinhar algo que eu amo, até trocar os lençóis antes de dormir.

Nós rimos mais, compartilhamos mais, amamos mais. Posso dizer que ele está mais confiante, e isso me deixa muito feliz. Quando saímos para jantar, nós damos as mãos e passeamos, assistimos a séries juntos e ficamos simplesmente em silêncio um perto do outro, e todas as pequenas coisas, são elas que tornam o romance especial.

O que você acha da ideia de usar a yoga como uma forma de melhorar a sua vida sexual? Acredita que isso é possível mesmo? Comente abaixo!

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (4 votos, média: 4,75 de 5)
Loading...

Deixe uma resposta

Seu email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *

*