Peter Pan

Como Superar a Síndrome de Peter Pan

A Síndrome de Peter Pan não tem nada a ver com ser fã dos contos do Peter Pan, mas é um problema comportamental que atinge boa parte das pessoas, sejam homens ou mulheres, e atrapalha bastante o relacionamento.

Tem tudo a ver com a imaturidade psicológica e com o narcisismo de algumas pessoas. Pessoas que sofrem dessa síndrome geralmente são rebeldes sem causa, recusam-se a envelhecer, não têm preocupações ou responsabilidades, fazem o que lhes dá na telha na hora que têm vontade e sem se preocupar com as consequências de seus atos.

Essas pessoas são costumeiramente chamadas de inconsequentes e costumam ferir muito os sentimentos de quem está à sua volta, agindo com desrespeito e dando prioridade única e exclusivamente para seu próprio umbigo.

O único objetivo delas é manipular as pessoas para ter o que tanto querem em troca. Só sabem pedir e exigir, nunca oferecem nem fazem nada para alcançar seus objetivos. São acomodadas e insatisfeitas, mas nada fazem para reverter essa situação. Quando estão erradas também dificilmente assumem a responsabilidade e nem sabem pedir desculpas e, quando o fazem, nunca soa com sinceridade e naturalidade.

Você conhece alguém assim? Ou você ao se olhar no espelho se enxerga assim? Se sim, você sofre da síndrome de Peter Pan e precisa sair dessa já! Saiba como superar a síndrome em alguns passos.

Encarar a realidade

O primeiro passo e talvez o mais difícil para superar a síndrome de Peter Pan é encarar a realidade, entender o problema e identificar-se com ele, ou seja, assumir que você tem a síndrome e que agir dessa maneira não condiz com a sua idade.

Se você não é mais criança, nem pré-adolescente, você já passou da fase de ser imatura e agir com irresponsabilidade. Por isso, perceba que isso apenas irá fazer mal a você e às pessoas à sua volta. Ter dimensão do mal você já causou pelos seus atos é primordial para essa aceitação e para começar um processo de cura.

Estabeleça limites

Pessoas imaturas só ficam na “linha” quando estabelecem limites. Ao invés de ter de ouvir um não severo, diga você mesmo um “não” interno quando perceber que está passando dos limites em alguma situação. Assim, você evita o desgaste alheio e antecipa-se aos problemas.

Crie na sua cabeça ou em um papel sua própria lista do que pode ou não fazer, segundo sua noção de certo e errado e estabeleça limites mesmo para as coisas consideradas certas. Tudo que é extrapolado ou excessivo demais não é saudável. Você tem que procurar um equilíbrio em tudo na sua vida.

Colocar-se no lugar do outro

Uma técnica que sempre funciona para se tornar uma pessoa mais generosa e altruísta é colocar-se no lugar do outro. Se para você está tudo certo nas suas atitudes, conduta, falas, postura, etc, troque de lugar com a outra pessoa que se relaciona com você, seja uma amiga, familiar ou seu namorado. Veja se você estaria contente com a outra pessoa se ela agisse da mesma forma que você agiu.

As coisas costumam mudar completamente de figura, a mente costuma clarear bastante e as pessoas passam a ser menos difíceis quando enxergam as situações de um outro ponto de vista. Além de se colocar no lugar do outro, para ver as coisas de uma outra perspectiva, você pode também observar a situação de fora, como se não estivesse envolvida nela e assim criar uma opinião sobre o assunto. Você pode se surpreender com o poder dessa técnica.

Dar mais do que receber

Se você está acostumada a ser mimada, receber presentes e tudo mais, tente fazer o oposto para superar a síndrome de Peter Pan. Primeiro, não fique esperando nada de ninguém, nem peça por isso. Se receber, tudo bem, seja grata e generosa no seu agradecimento, mas procure dar algo em troca. Segundo, surpreenda alguém querido com um presente fora de época, inesperado. Veja como isso te faz bem.

Às vezes, ver outra pessoa sorrir pode ser mais gratificante do que sorrir para si mesma. Fazer o bem para os outros, mesmo que em pequenas ações, pode trazer bem estar, tranquilidade e mais vigor na sua vida, além de ajudar no seu processo de amadurecimento interior e recuperação da síndrome de Peter Pan.

Assumir a culpa

Essa é talvez uma das atitudes mais complicadas para quem sofre com a síndrome do Peter Pan. Responsabilizar-se pelos próprios atos e assumir um erro exige muita coragem e maturidade e é realmente muito difícil. Sempre é mais fácil apontar o dedo para outra pessoa ou omitir tudo.

Mas, acredite, isso a longo prazo não será bom pra você nem para quem se relaciona com você. Tenha peito para dizer que errou e pedir desculpas, com certeza essa atitude será muito mais bem vista do que uma omissão, por exemplo. Além de se sentir melhor consigo mesma, você irá ganhar a admiração das pessoas.

Valorize os outros

Mulheres com a síndrome de Peter Pan podem ser bem narcisistas, admirando sua própria beleza e seus atributos atrelados ao físico e à personalidade. Claro que todas as pessoas precisam se amar, mas quando isso ultrapassa as barreiras da sanidade é preciso cuidado.

Procure saber além dos seus pontos fortes, quais são também seus defeitos e pontos fracos e saiba admirar o que de melhor existe nos outros, sejam aspectos físicos ou abstratos. Valorizar os outros é o contrário de menosprezar e isso é essencial para uma vida harmônica em sociedade.

Deixe hábitos infantis de lado

Quem sofre da síndrome de Peter Pan costuma se apegar a hábitos infantis que não condizem mais com sua idade, círculo social e estilo de vida. É importante deixar isso no passado para poder seguir em frente e agir com mais maturidade frente às situações do dia a dia.

Claro que você não precisa matar por completo a criança que existe em você e se tornar uma pessoa amargurada, carrancuda, de mal com a vida, nem nada disso, mas pare de fazer piada de tudo, de levar tudo na brincadeira, de se vestir como adolescente, agir como uma rebelde sem causa ou frequentar lugares que não têm nada a ver com você. Saber adequar-se ao melhor meio e ao seu habitat irá contribuir para acabar com a síndrome de Peter Pan de uma vez por todas.

Terapia psicológica

Esse deve ser o último recurso a ser utilizado. Claro que fazer terapia deveria ser pré-requisito para qualquer pessoa que quer se tornar um ser mais sociável, mais feliz e autoconfiante, mas se você não dispor dos recursos financeiros para isso, você pode tentar todas as dicas anteriores.

Com a ajuda de amigos e familiares e com a motivação certa você chegará lá sem o auxílio de um profissional. Porém, existem casos que extrapolam o normal e certas mulheres podem não aceitar a realidade ou ter recaídas constantes. Neste caso, o melhor realmente é procurar ajuda de um especialista e iniciar um tratamento para sair dessa pra sempre.

RECOMENDADOS PARA VOCÊ

Você já conhecia a síndrome de Peter Pan? Acredita que possa sofrer deste transtorno, ou conhece alguém que esteja atrapalhando uma relação social com isso? Comente abaixo.

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (8 votos, média: 4,50 de 5)
Loading...

12 comentários

  1. Nossa, identifiquei uma amiga com essas características. Ela me fez sofrer, me deixou chateada, pois não consegue sentir empatia pelos outros. E pior, sempre que há algum problema, ela aponta o dedo para terceiros, como se não tivesse responsabilidade por nada. Aliás o que ela menos tem é responsabilidade, muito triste isso. Preferi me afastar, pois tudo isso estava me fazendo mal. Admito que sempre fui meio codependente em todos os meus relacionamentos, amor, amizades, família e etc, porém dói demais ser tratada como lixo por alguém que você tem consideração e carinho. Então, para me preservar, optei por ficar distante, espero que o tempo e a vida mostre a ela a melhor forma de viver e se relacionar com as pessoas. Ótimo artigo!

  2. Verdade Bia !
    Devemos nos desapegar de pessoas que nos ferem com palavras e atitudes . Me afastei de uma amiga que tem os mesmos comportamentos que a sua e quer saber : não sinto falta dela , pois , quando algo não vai bem , a gente não sente falta . Devemos para de buscar no outro , aquilo que pode ser encontrado dentro de nós mesmos . O verdadeiro amor e amizade somos nós mesmos , nós que somos os nossos melhores amigos . amor próprio é tudo ! A felicidade está dentro de nós , chega de procurar no outro o que está dentro de nós mesmos .

  3. Me relaciono com uma pessoa assim! Fiquei espantado, agora, quando li isso, pois parece que estava vendo a pessoa na minha frente! O pior que amo tanto essa pessoa e, sinceramente, não sei o que fazer, porque as suas atitudes, todas elas, incrivelmente descritas aqui, estão me machucando muito. Realmente não sei o que fazer. Agora, que identifiquei o problema dessa pessoa, não sei se ajudo-a ou se, ainda que me doa um tanto, eu deva me afastar….

  4. Sobre deixar hábitos infantis de lado, fiquei com uma dúvida: Eu por exemplo gosto de assistir desenho animado, principalmente filmes animados. Também gosto de usar um ou outro action figure (bonequinhos de personagens) para enfeitar o local onde guardo meus livros e revistas. Exemplo de action figure na net:

    http://www.kirinhobby.com/shop/images/TY7/TYSE04885_01.jpg

    http://media.dcentertainment.com/sites/default/files/imce/2014/02-FEB/cw_articulation_580_5303fcd5e97150.59019342.jpg

    https://figurefanzero.files.wordpress.com/2010/02/dcdww1.jpg?w=593

    Sempre gostei da arte pop e acho que isso não é algo que deveria deixar para trás, certo?

  5. Eu sofro dessa síndrome e quando minhas esposa falo eu não acreditei que existia e vim pesquisar estou destruindo minha vida e de quem esta ao meu redor sem mesmo percebe e isso me faz pensar na vida e ver que faço minha família sofrer como meus filhos e esposa , e agora estou perdido de tal maneira que tal veis seja melhor deixa-los ir tal veis ficaram melhor sem mim . Preciso de ajudar socorro.

  6. Uau!Os homens que jogam videogame, e adoram um futebol sofrem de síndrome de Peter Pan! Eles devem “crescer” e dedicar suas vidas apenas a esposa e filhos, esquecendo-se de suas próprias vidas…
    A coitada da esposa pode estar sofrendo da síndrome de Wendy, ou seja ela se dedica demais ao marido, se sacrifica pelo casamento…esta errada, tem que pensar em si própria…
    Aí então temos as mocinhas com síndrome de Cinderela, coitadas, ficam esperando o príncipe encantado, aquele que poderia ser seu futuro esposo, enquanto tem uma vida “inteira” pela frente, com transas, independência,etc…..que desperdício se guardar para um só homem, afinal ele talvez nem exista…talvez!
    Resumindo o que a tal teoria (porque não passa disso) ensina: O homem não tem direito a ter sua própria vida,pois isso significaria “infantilidade”,”imaturidade”.Ele deve trabalhar que nem cão, sem diversão, ir a guerra quando convocado, defender o lar e a família, ou seja, viver para os outros, afinal ele tem de “crescer”…
    Em contrapartida a mulher sim tem que aproveitar a vida, assistir novelas, ir ao cinema, namorar, se divertir, enfim ter a liberdade e independência, caso contrário ela esta apenas se sacrificando em prol da família….ai, que síndrome horrível…
    Me perdoem pela sinceridade, mas tais teorias “julgadoras” são mínimo um contrassenso que foge completamente da ideia moderna da “igualdade de gêneros”,ou será que eu ainda não cresci o bastante para entender tal divisão social torpe?…que medo…
    Vou mais além, a síndrome de Peter Pan e a de Wendy foram inventadas,ops!…”descobertas” pelo grande psicólogoDr. Dan Kiley que assim afirmou, e até escreveu uma série de livros (esperto ele,né)…mas o que ninguém diz aqui, numa total falta de responsabilidade, é que” não há evidências de que estas síndromes sejam uma doença psicológica real, e por isso não está referenciada nos manuais de transtornos mentais. Não consta, por exemplo, no DSM IV.
    É triste a falta de profissionalismo e respeito as pessoas.

  7. Boa noite.
    Ao ler sobre a síndrome de Peter Pan eu me identifiquei na hora e meu casamento acabou muito por causa desse comportamento. Minha ex-esposa sempre me falava que eu era muito criança, infantil, mas eu achava que era só chatice dela, mas agora vejo que não. Eu fiquei triste em saber que já tenho 41 anos e acabei de assumir que ainda sou infantil. Eu não quero mais ser assim, quero me tornar um adulto completo, e deixar de ser menino. Preciso de ajuda. Obrigado.

    • Você é mulher, isso é visível quando se lê o seu texto, homem não se expressa dessa maneira.Enfim isso só prova o que eu disse anteriormente, essa síndrome não existe cientificamente falando, a sociedade é que a inventou cobrar mais dos homens,para que os rendimentos sejam maiores, para que os homens se matem trabalhando e se contentando com qualquer coisa e qualquer mulher, ou seja verdadeiros escravinhos.Obrigado por confirmar meu raciocínio lógico, assim se alguém tinha dúvidas a respeito dessa farsa agora foram totalmente sanadas por você.Tenta outra melhor para atacar os homens.

  8. Wildouglas,não viaja,você é fake, é troll. Até na forma de formular o texto e é nítido que se trata de uma mulher,e a parte “eu fiquei triste” foi patética, homem nenhum usa esse termo, precisa estudar mais sobre os homens querida, dessa vez não deu.

  9. Maria line Fabrino Ramos

    Meu filho tem todos esses sintomas de síndrome de Peter Pan.Ele tem 28 anos é filho único meu marido têm um casal do primeiro casamento tem até netos. Mais meu filho sempre foi minado por tias por mim que sou mãe pela avó! Agora avó morreu as tuas morreram e estamos morando eu meu marido meu filho! Ele se sente perdido!! Tinha tudo pois minha tia era funcionária pública ganhava 15 mil reais por mês minha mãe ganhava 7 mil reais por mês vê elas morreram e o salário acabou!! Tínhamos uma vida muito confortável eu era procuradora delas!! Eu não trabalhava tinha cuidadoras para cuidar delas administração tudo morava juntos todos numa casa grande própria! Eu sou pianista e agora comecei a dar aula de piano para me virar um pouco meu marido é corretor de imóveis está muito difícil essa área no momento ele vai trabalhar também com material médico hospitalar e meu filho que é formado em turismo e também é corretor de imóveis não trabalha na área trabalha jogando poker online e da aula disso! Imagina a minha cabeça? Não é fácil!! Só com muita fé muita força para Deus me ajudar neste processo de tantas mudanças!! Sair da zona de conforto foi difícil para mim!! Eu que tinha tudo!! Agora estou aprendendo a viver ou melhor sobreviver! Só peço a Deus que me ajude com meu filho pois não estou sabendo lhe dar com esse comportamento de síndrome de Peter pan . Gostaria de alguma ajuda!

  10. Meu filho tem todos esses sintomas, como devo proceder? Psiquiatria? Psicólogo ele não aceita. Existe tratamento para essa síndrome SPP? Vive no quarto 24 hs de 2 a 2 feira só no computador jogo e interagindo on line. Não quer sair pra lugar nenhum, não gosta de festa, música. Não sei mais o que fazer para fazê-lo cair na realidade. Conseguiu se formar na faculdade mas no social é quase que impossível.

Deixe uma resposta

Seu email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *

*