Beijo

Por Que Somente 46% Das Culturas Se Beijam Na Boca

Os beijos não são uma regra absoluta em todo o mundo, e o motivo de não ser pode ser muito mais surpreendente do que você imagina.

É provável que você acredite que o beijo na boca, esse símbolo do romantismo onipresente na sua cultura, seja o gesto de amor universal por excelência. Muitas pessoas também pensam assim, e de fato, a própria ciência também…

Acontece, porém, que a ação específica de juntar a sua boca com a de outra pessoa para compartilhar saliva durante um tempo determinado, e consequentemente cerca de 800 milhões de bactérias, não é algo que faz muito sentindo para todas as culturas

Pesquisa descobre que somente 46% das culturas praticam o beijo na boca

De acordo com um estudo realizado recentemente por uma equipe liderada por Rafael Wlodarski, da Universidade de Oxford, somente 46% das culturas praticam o beijo na boca.

Na verdade, em muitas sociedades a ideia de beijar alguém na boca parece ser algo repugnante, e no reino animal, pode-se contar em dois dedos de uma única mão as espécies que o praticam.

Em algumas culturas, como a da tribo brasileira Mehinaka, o beijo na boca é intolerável e bárbaro, e isso fez com que alguns especialistas começassem a supor que entre os antepassados, o beijo na boca simplesmente não existia.

O beijo na boca poderia ser na verdade, uma invenção relativamente nova, disse Wlodarski.

A evidência mais antiga desta prática pode ser encontrada em um texto sânscrito de pouco mais de 3.500 anos atrás, em que descreve o beijo como “inalar a alma do outro”.

Por outro lado, em nenhum hieróglifo egípcio está representado figuras humanas se beijando, por mais próxima que fosse a descrição do relacionamento sentimental e físico entre duas pessoas.

No mundo animal as pistas são ainda mais confusas. Por um lado, os chimpanzés se beijam na boca, como observou o primatologista Frans de Wall, da Universidade Emory de Atlanta, Estados Unidos.

Depois de brigarem, o ritual de reconciliação entre esses animais geralmente inclui abraços e beijos, mas de fato, isso é algo mais comum entre os machos e não tem uma conotação sexual.

Os primos dos chimpanzés, os bonobos, se beijam na boca durante o sexo, mas deve ser levado em conta que os bonobos usam o sexo também como uma saudação e um sinal de afirmação, por isso esta observação deve ser vista com cautela.

Então, por que as pessoas se beijam na boca como se beijam? 

Mesmo que o beijo não seja algo compartilhado pela maioria das espécies e nem sequer esteja presente em metade das culturas, é provável que tenha uma origem biológica, que está presente pelo menos em alguns mamíferos.

Na hora de procurar companheiros em potencial, várias espécies usam o olfato.

Os javalis machos produzem um odor pungente que é atraente para as fêmeas. Entre os hamsters, são as fêmeas que liberam esse perfume para atrair o sexo oposto, e entre os ratos, os aromas variam muito para evitar o incesto e garantir a riqueza genética.

De acordo com uma pesquisa publicada em 1995, as mulheres preferem o cheiro dos homens, que são geneticamente diferentes dos delas, e de acordo com outra realizada em 2013 pelo próprio Wlodarski, o cheiro desempenha um papel fundamental na hora de considerar um beijo exitoso ou não, sobretudo durante o período fértil feminino.

Segundo Wlodarski, os beijos podem ser gestos socialmente aceitos ou politicamente corretos, e algumas culturas têm evoluído para sentir o cheiro um do outro muito de perto.

Da mesma forma que tudo isso é tão estranho, também é algo bem simples!

Você imaginava que poderia existir tantas pessoas mundo afora que não utilizam o beijo como gesto de carinho e amor? Comente abaixo!

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (1 votos, média: 5,00 de 5)
Loading...

Deixe uma resposta

Seu email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *

*