Casal jovem na cama

Os Adolescentes de Hoje em Dia Estão Fazendo Este Tipo de Sexo

Adolescentes e jovens adultos estão envolvidos em uma maior variedade de práticas sexuais do que fizeram há 20 anos, de acordo com um novo estudo publicado no “Journal of Adolescent Health”. Entre os jovens heterossexuais sexualmente ativos pesquisados ​​para o estudo, a porcentagem que disseram ter tido relações sexuais vaginais, orais e anais durante o último ano mais do que duplicou entre 1990 e 2012.

Os pesquisadores analisaram mais de 45.000 entrevistas de três pesquisas de residentes britânicos de 16 a 24 anos, realizadas a cada década. As pessoas entrevistadas na primeira pesquisa nasceram na década de 1930, enquanto as da pesquisa mais recente nasceram em meados da década de 1990.

Em todas as três pesquisas ao longo dos 22 anos, o sexo vaginal foi a prática sexual mais comum. Mas as percentagens de pessoas sexualmente ativas que também relataram ter tido sexo oral e anal no último ano aumentaram ao longo do tempo, de 1 em 10 pessoas em 1990-1991 para 1 em 4 homens e 1 em cada 5 mulheres, em 2010-2012.

Entre a primeira e a segunda década, esse aumento foi mais notável entre os jovens de 19 a 24 anos. Mas entre a segunda e a terceira, o aumento foi maior entre os jovens de 16 a 19 anos – sugerindo que essas tendências “filtraram a faixa etária ao longo do tempo”, escreveram os autores em suas análises.

Também foram observados declínios modestos na relação sexual vaginal e contato genital-genital durante o período de estudo. Mas, na maior parte dos casos, os autores escreveram: “estamos percebendo a união sexual do sexo oral e anal, que é incorporado, ao invés de substituir relações sexuais vaginais em repertórios heterossexuais”. Estudos anteriores sugeriram tendências semelhantes em outros países de alta renda, e os autores dizem que suas descobertas poderiam também se encaixar a jovens americanos de maneira satisfatória.

Os pesquisadores também perguntaram às pessoas sobre experiências do mesmo sexo, mas o número de pessoas que relataram se envolver nestes casos não foi suficientemente grande para realizar uma análise significativa das tendências da atividade homossexual, dizem os autores.

Como o estudo baseou-se em dados autorrelatados, os autores reconhecem que podem não ter toda a história necessária para estudar o porquê desses resultados.

É importante ressaltar que à medida que a sociedade se tornou mais aberta a aceitar diferentes tipos de sexo, é possível, porém, que as pessoas possam ter sido mais propensas a responder honestamente sobre suas próprias práticas nos últimos anos. Os pesquisadores também observam que a última pesquisa foi realizada em 2012 e que as práticas sexuais podem ter continuado a mudar desde então.

Mas se as respostas realmente são evidências de mudanças de comportamento, elas também podem apresentar riscos potenciais. A pesquisa mostrou, por exemplo, que os adolescentes – especialmente as meninas – podem se sentir pressionados a praticar sexo oral ou anal, mesmo quando acham doloroso ou desagradável. Estudos também descobriram que os casais são menos propensos a usar preservativos quando praticam sexo anal, em oposição à relação sexual vaginal.

Eli Coleman, professor e diretor do programa de sexualidade humana na Faculdade de Medicina da Universidade de Minnesota, diz que adolescentes e jovens adultos precisam de mais educação sobre os riscos de doenças sexualmente transmissíveis (DSTs), especialmente quando falamos em outras práticas que não sejam sexo vaginal.

“Os adolescentes estão incrivelmente preocupados com a prevenção da gravidez, e eles estão fazendo um trabalho melhor disso”, diz Coleman, que não estava envolvido no novo estudo. “Mas eles não estão preocupados o suficiente com as DSTs e suas potenciais consequências a longo prazo”. Coleman cita aumentos em doenças como gonorreia, que tem se tornado mais resistente aos medicamentos nos últimos anos, e diz que a educação sexual precisa começar cedo – antes que as crianças se tornem sexualmente ativas.

A pesquisa britânica também sugere que a idade em que as pessoas têm sua primeira experiência sexual, como beijar ou tocar intimamente, está ficando mais nova: de 16 no primeiro grupo de pesquisa para 14 no mais recente. A idade em que as pessoas começaram a ter relações sexuais (oral, vaginal ou anal) também diminuiu, dos 20 anos para as mulheres e 19 para homens na década de 1990 para 16 para homens e mulheres nos anos de 2010.

No entanto, esse não seria o caso nos Estados Unidos. A taxa de gravidez na adolescência está em todos mais baixa nos EUA, e outro estudo descobriu recentemente que os adolescentes americanos hoje estão fazendo menos sexo do que aqueles nas gerações anteriores a eles.

Quanto ao aumento relatado do sexo anal, os autores observam que o acesso à pornografia é frequentemente citado como um fator de direção potencial. Mas eles advertem contra a atribuição dessa tendência a qualquer coisa, como é provável devido a uma “paisagem sócio sexual complexa”, da qual a pornografia é apenas um elemento. Eles também ressaltam que o número total de pessoas que disseram que tentaram o sexo anal ainda era pequeno, mesmo no estudo mais recente.

Independentemente do que está por trás dessas tendências, manter o ritmo com elas é importante para garantir que a informação sobre a saúde reflita o que os jovens estão realmente fazendo. “Devemos estar preocupados com todos os aspectos da saúde sexual e promover a sinceridade na comunicação nos relacionamentos, e não apenas nos preocupar com os resultados adversos”, diz Coleman. “Precisamos promover formas pelas quais as pessoas possam explorar sua sexualidade de maneira saudável e responsável, e isso é ainda mais sério quando estamos falando de adolescentes. A educação sexual precisa mudar e caminhar para frente, assim como as tendências sexuais estão fazendo”.

RECOMENDADOS PARA VOCÊ

Você já praticou alguma vez sexo anal? Com quantos anos perdeu sua virgindade e com quantos anos praticou esses tipo diferentes de sexo? Comente abaixo.

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (Nenhum Voto Ainda)
Loading...

Deixe uma resposta

Seu email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *

*