Problemas de recém-casados

O Primeiro Ano do Casamento é Realmente o Mais Difícil?

O primeiro ano de casamento é um pouco contraditório. Amplamente anunciado como o período da lua-de-mel, também diz-se que será o pior de todos os anos que estão por vir – uma perspectiva intimidadora para todos os casais que estão prestes a começar o próximo capítulo juntos.

Como qualquer nova experiência, casar tem seu próprio conjunto particular de desafios. Mas de acordo com Rachel A. Sussman, especialista em relacionamentos, esses desafios não precisam acabar com a felicidade pós-casamento de um casal, contanto que eles tenham tempo para considerar o que está à frente e antecipar áreas que exigirão comprometimento.

“Eu não vejo o primeiro ano de casamento sendo o mais difícil, eu acho que é um daqueles mitos que as pessoas adoram reproduzir”, disse Sussman. “O primeiro ano de casamento deve ser realmente alegre. Casais que têm muitos problemas durante o primeiro ano de casamento normalmente já tinham esses problemas antes de dizer sim.”

Dos casais que Sussman aconselha, aqueles que têm um primeiro ano difícil tendem a ser aqueles que não lidam com importantes conflitos durante o noivado. São casais que não abordavam preferências e hábitos de estilo de vida; eles não encontraram um equilíbrio entre trabalho, lazer e tempo para a família.

Dito isto, a maioria dos pacientes de Sussman antes do casamento são aconselhados a morar um tempo juntos, e ela acha que isso ajuda a tornar o primeiro ano mais feliz. “Realmente, não há muitas surpresas quando você já mora junto há um tempo”, explica ela.

E testar as águas antes do casamento está se tornando algo cada vez mais popular. Os EUA viram um aumento acentuado no número de casais solteiros que moram juntos. Entre 2006 e 2010, 48% das mulheres com idades entre 15 e 44 anos viviam com o parceiro antes do casamento, número 11% maior do que o que foi observado em 2002 e 41% maior do que em 1995. De fato, a maioria dos americanos concorda que morar junto antes do casamento reduz o risco de divórcio.

Wylie Goodman, psicóloga clínica, também acredita que a convivência pré-matrimonial pode ajudar os casais a resolver algumas de suas rusgas nas relações. “O primeiro ano de vida com outra pessoa pode revelar idiossincrasias que podem não ter sido óbvias quando os dois viveram separados, como hábitos de limpeza ou como cada parceiro lida com o conflito”, disse ela. “Mas o primeiro ano muitas vezes traz também uma sensação de otimismo que contribui para que cada pessoa tenha uma atitude mais tolerante em relação ao outro, o que é essencial para relacionamentos saudáveis”.

Ainda assim, morar junto não exclui a possibilidade de problemas conjugais, diz Goodman, e não é garantido que o primeiro ano seja mais fácil. Mas os casais que têm mais dificuldade no início tendem a ser os que têm desentendimentos de longa data que não foram resolvidos, diz ela.

Ronald Katz, conselheiro de casais, diz que quando seus clientes têm problemas no primeiro ano nupcial, isso acontece tipicamente porque eles não conseguiram compartilhar a logística diária: contas bancárias compartilhadas, tarefas domésticas e a questão de manter a independência pessoal enquanto também operam como uma unidade. O choque entre as abordagens de estilo de vida testadas pelo tempo e as visões de mundo pode tornar o primeiro ano de casamento o mais difícil – “ainda mais difícil do que o primeiro ano em que se tem um filho “, afirma Katz.

Outra razão para as dificuldades iniciais, diz Katz, é “a percepção de que este é um compromisso real, é um compromisso legal”. Vocês dois colocaram um anel no dedo, e tudo se tornou repentinamente muito oficial, e muitas vezes você não desenvolveu os mecanismos de comunicação para efetivamente reconciliar suas diferenças.

É por isso que todos os três conselheiros enfatizam a necessidade de comunicação – antes, durante e depois do casamento. Katz recomenda ser explícita sobre suas expectativas e concepções de casamento bem antes de dizer “sim”, e se seus objetivos não se alinharem, Sussman aconselha buscar informações profissionais rapidamente antes do casamento.

Mas também é crucial lembrar que os relacionamentos exigem manutenção regular: “Quando unimos nossas vidas à outra pessoa em um vínculo de monogamia, também é inevitável que surjam brigas pelo poder em algum momento”, diz Goodman. “Em casamentos saudáveis, cada parceiro chega ao relacionamento ciente de seus problemas, para que eles possam conversar ou mesmo brigar de forma justa através de diferenças sem alienar seu parceiro ou perder seu próprio senso de unidade e independência. Nenhum casamento é perfeito e sem conflitos. E bons casamentos têm uma forte amizade em seu núcleo”.

Você já passou pelo primeiro ano do casamento? Ele foi realmente difícil ou vocês conseguiram levar numa boa? Comente abaixo!

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (1 votos, média: 5,00 de 5)
Loading...

Deixe uma resposta

Seu email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *

*