Mulher francesa

O Guia da Mulher Francesa para Chegar aos 30 com Estilo – Depoimento Incrível

O meu maior medo durante o 29º ano da minha vida foi que seria o meu último verão podendo usar shorts jeans mais curtos sem medo. Em retrospectiva, suponho (ou pelo menos espero) que minha preocupação tenha mais a ver com simbolismo, e não com vaidade.

Depois de ter passado meus 20 anos em um grande pêndulo sempre balançando entre quem eu deveria ser e quem eu queria ser, acabei de crescer inteiramente bem com meu eu real: minha personalidade pouco frequente, minha carreira muitas vezes instável como escritora freelancer e um estilo tão básico, que eu poderia facilmente me vestir no escuro.

Os shorts jeans, usados ​​não como opção para o fim de semana, mas quase como um uniforme em dias quentes, emparelhados com botões de linho e tênis all star converse, pareciam se encaixar como um emblema dessa auto aceitação, o que me fez pensar em aposentar tudo isso aos 30 anos. Tudo parecia precipitado, desnecessário, simplesmente errado, e não só em relação às minhas roupas, mas elas refletiam isso.

Porém, eu percebo que não há mais uma regra que dite uma idade em que você deve parar de usa shorts jeans – ou qualquer outro item de vestuário jovem. Estou ciente, tecnicamente, de que os 30 trata-se de entender, aceitar e colocar em prática seu verdadeiro eu, de ter um sexo incrível, de florescer em uma mulher real no melhor sentido da palavra. E, no entanto, às vezes, tudo o que eu menos preciso é de mais um perfil de um ícone jovem que mostra sua existência incrivelmente chique, mostrando como vive e cresce em todos os domínios da vida, mas de maneira vazia.

Essa mentalidade é o resultado de viver em nossa sociedade consumista de hoje, em uma cultura orientada (e muitas vezes, enganada) por resultados quantitativos, quando, na verdade, aos 30, deveríamos saber celebrar o processo de envelhecimento, assim como fazem muito bem os franceses.

“Eu estaria mentindo se dissesse que não temos uma crise dos trinta”. Na verdade, estou atualmente passando pela minha!”, diz Stéphanie Delpon, de 29 anos, rejeitando instantaneamente essa teoria. “No entanto, penso que este é também o momento de nós fazermos algumas perguntas importantes, ter a maturidade para respondê-las, e, finalmente, fazer exatamente o que queremos”, ela acrescenta as suas palavras, concentrando toda a sua atenção atual no crescimento de sua agência criativa, a Pictoresq – e confiando em uma roupa inspirada nos anos 70 que reflete sua personalidade.

A jornalista parisiense Ophélie Meunier, que recentemente renunciou a uma lucrativa posição em uma famosa revista para buscar oportunidades freelance, também enfatiza a importância de usar esse tempo para avaliar os objetivos de uma pessoa e, em seguida, ir ativamente para eles – vestidos, é claro, da maneira que você desejar. Enquanto ela, sem dúvida, sente o impulso ocasional para acelerar a combinação perfeita entre filhos/carreira/casa (“tudo no Instagram, acompanhado de legendas e hashtags!”). Ela também aponta que “o medo nunca é um bom motor – especialmente quando é a projeção dos medos de outras pessoas”, ou seja, fique firme e fiel a si e ao que você quer.

A maioria das mulheres francesas têm uma visão semelhante de estilo à medida que envelhecem. Marie de Menthon, executiva de contas na agência de comunicação Betc Luxe, ressalta que enquanto uma garota de 20 anos ainda está tentando se encontrar através da experimentação de diferentes estilos de roupa, uma mulher de 30 anos está muito mais segura consigo mesma, permitindo-lhe adotar um estilo mais coesa e uniforme.

Ela também aponta que o crescimento profissional leva a um maior poder aquisitivo, permitindo investir em peças atemporais e de alta qualidade que podem ser o tipo de roupa perfeita para qualquer ocasião (os suspeitos mais comuns são uma camisa branca, calças pretas de cintura alta, um casaco bem cortado e um mocassim clássico).

Delpon observa que a direção da carreira de uma mulher pode realmente servir como catalisador para a evolução do seu guarda-roupa, ressaltando a diferença entre os estilos de uma analista financeira em ascensão, uma blogueira de moda e uma jovem mãe. Ainda assim, é preciso observar que nenhuma dessas escolhas está correta ou errada. “Enquanto você está florescendo, é fiel à sua filosofia de vida e sente-se como se estivesse exatamente onde você deveria estar em sua vida, então você está no caminho certo”, diz Meunier. Se os shorts jeans são uma filosofia de vida (e tenho certeza de que são), então você está bem com o que está vestindo.

Quando perguntado se há algo realmente proibido nessa época do pós-30, a maioria das mulheres não pensa em nada realmente significativo, embora elas indiquem que qualquer peça de roupa muito curta vem com o rótulo de advertência de potencialmente ser percebido como “vulgar”. Pois é, na França também se pensa assim. Mas, no entanto, esse risco se aplica a qualquer faixa etária.

“Uma mulher de 40 anos de idade pode usar shorts curtos melhor do que uma garota de 20 anos, desde que seja elegante”, diz Meunier, acrescentando: “É uma questão de atitude, e não de idade”. Lola Rykiel, fundadora de PR e da agência de consultoria Le Chocolat Noir, de 31 anos, acredita que a chave para usar itens complicados após uma certa idade está no estilo, citando o emblemático francês “look décalé” – uma justaposição de elementos opostos, como uma minissaia usada com uma sobreposição de blusas, por exemplo, para trazer o equilíbrio.

Ironicamente, ela própria antecipa intensificar sua coleção de saltos agulha em direção a seus 40 anos: “Espero estar em boa forma, com dois filhos e usar muito mais saltos do que agora”. E embora eu mal consiga me imaginar evoluindo para os 30 anos, tenho que admitir que, com esses depoimentos, envelhecer de repente parece muito mais excitante.

Pode ser, de fato, que a celebração de uma idade mais madura é o que distingue o estilo francês. “Estamos ficando mais velhos de qualquer maneira, então por que lutar contra isso? É lindo envelhecer”, diz Delpon.

Enquanto a maioria das parisienses são meticulosas sobre ficar em forma e cuidar da pele (de fato, com suas rotas de cuidados complexas indo da alimentação a produtos de beleza), medidas extremas, como Botox precoce, são ridiculizadas e até mesmo vistas como sinal de fraqueza. “Não desejamos alisar a pele e parecer como todos os outros. A imperfeição não nos assusta, é o que nos faz belos”, diz Meunier. No final do dia, ela está convencida de que a verdadeira beleza reside na confiança. “A juventude está na sua cabeça. Se você tem medo de murchar, então você desaparecerá como uma flor!”

E, assim, eu resolvi passar o 30º verão da minha vida usando meus shorts jeans – florescendo, sem murchar.

O que você achou dessas dicas de mulheres francesas para chegar aos 30 com estilo? Já está chegando a essa idade? Comente abaixo!

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (2 votos, média: 5,00 de 5)
Loading...


Deixe uma resposta

Seu email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *

*