HPV

HPV Pode Ser Curado? 7 Coisas Que Você Precisa Saber Sobre Essa DST

A questão de se o papilomavírus humano (HPV) desaparece por si só é algo que vem sendo discutido a bastante tempo.

O HPV é um vírus que infecta a pele e os genitais. Alguns tipos de alto risco desse vírus têm sido associados a cânceres do colo do útero, da vagina, do pênis, do ânus, da boca e da garganta.

Uma infecção por HPV pode ser eliminada, o que significa que a pessoa não é mais positivo, no entanto, o vírus pode permanecer presente mas inativo em seu sistema; porém, ele não irá desaparecer por completo.

De acordo com esta nota da Escola de Medicina da Harvard: “A observação de que o HPV tem dois picos – mulheres com menos de 30 anos de idade e nas mulheres entre metade dos seus 50 anos – levou ao conceito de latência do HPV com posterior reativação da infecção. De acordo com essa hipótese, as infecções por HPV podem estar dormentes em pacientes com imunidade normal, mas serem reativadas mais tarde. Mulheres com infecções latentes terão como resultado um teste negativo de HPV”.

Os resultados do teste do HPV podem mudar de positivo para negativo dentro de 1 a 2 anos após o primeiro teste positivo, pois o corpo elimina a infecção.

Após esse período, uma mulher pode apresentar resultados negativos, mas o sistema imunológico de uma mulher pode não ser capaz de impedir que o vírus se torne ativo novamente.

Atualmente, não existem exames de rotina para homens, porém alguns médicos estão pedindo exames de Papanicolau anal para homens gays e bissexuais, que são os que correm maior risco de câncer anal que é causado pelo HPV.

Em um exame de Papanicolau anal, o médico coleta células do ânus e verifica se há anormalidades em um laboratório.

Veja agora alguns outros fatos sobre o HPV que podem ajudá-la a entender melhor esse vírus:

  1. Estima-se que 6 milhões de novas infecções ocorrem a cada ano, e cerca de metade da população jovem brasileira é afetada pelo vírus;
  2. Estima-se que 75% dos homens e mulheres em idade reprodutiva tenham sido infectados com um ou mais tipos de vírus HPV;
  3. Existem mais de 200 cepas de HPV. Cerca de 40 dessas deformações são transmitidas através do contato sexual. As cepas mais comuns que causam a maioria dos cânceres cervicais são HPV 16 e o HPV 18;
  4. Mais de 95% das infecções por HPV não causam nenhum sintoma. Acredita-se que as cepas que causam verrugas genitais sejam HPV 6 e 11. Essas não possuem os mesmos tipos de alto risco que podem levar ao câncer cervical;
  5. Não há cura para o HPV, mas você pode obter tratamento para os sintomas. As verrugas genitais podem ser tratadas e removidas com o uso de uma pomada. Testes anormais de HPV e Papanicolau podem precisar ser refeitos, então o seu médico decidirá se você deverá fazer uma biópsia ou colposcopia para procurar anormalidades celulares;
  6. O HPV é transmitido através do contato de pele com pele. Usar um preservativo durante uma relação sexual pode ajudar a impedir que ele se espalhe através dos genitais, porém não impedirá totalmente a transmissão, pois o contato pele a pele ainda pode ocorrer. A abstinência é a única forma definitiva de prevenir a transmissão do HPV;
  7. Existe também uma vacina chamada Gardasil 9 que foi aprovada pelo Food and Drug Administration FDA – Departamento de Saúde e Serviços Humanos dos Estados Unidos, que oferece proteção adicional contra outras cepas do HPV que acredita-se que causam 90% dos cânceres do colo do útero. As vacinas são destinadas a proteger aquelas pessoas que ainda não foram expostas ao vírus, e não como um tratamento. O Gardasil 9 também é aprovado para uso em homens de 9 a 15 anos de idade.

Esses são os 7 fatos que você deve saber de grande importância sobre o HPV; por isso, previna-se.

RECOMENDADOS PARA VOCÊ

Você já foi infectada pelo vírus HPV? Como descobriu isso? Que tipo de tratamento a ginecologista recomendou? Comente abaixo!

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (1 votos, média: 5,00 de 5)
Loading...

Deixe uma resposta

Seu email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *

*