Mulher com mão na calcinha

Casais Felizes Também Se Masturbam

Se um hobby é uma atividade exercida por prazer, a masturbação é talvez o hobby mais comum que a humanidade partilha. Homens e mulheres se masturbam desde a adolescência, uns mais e outros menos, mas alguma vez na vida as pessoas se deparam com a sua sexualidade de uma forma ou de outra e começam a se descobrir mais, explorando seus próprios corpos.

Uns começam a explorar por influência e pressão dos amigos, outros espontaneamente ao assistir pornô. A masturbação é uma ação natural e importante para qualquer pessoa, seja homem ou mulher, e até mesmo na infância, apesar do assunto ainda gerar muita polêmica pela maior parte das pessoas.

Embora a prevalência da masturbação varie de acordo com a idade, a maioria dos homens e mulheres de todas as faixas etárias dizem fazê-la com frequência. Uma pesquisa realizada nos Estados Unidos constatou que as pessoas se masturbam até os 60 anos de idade, numa média geral.

Outra pesquisa constatou que as pessoas que mais se masturbam hoje em dia têm idade na faixa dos 25 a 29 anos, diferente do que você poderia pensar, uma vez que o senso comum afirma que são os pré-adolescentes e adolescentes que mais se masturbam por estarem na fase das descobertas sexuais.

O papel da masturbação em um relacionamento sério e longo é completamente normal. Muito se pensa que a masturbação só acontece por ser uma alternativa ao sexo, por isso, é mais realizada por pessoas solteiras, mas engana-se quem pensa assim. Como mencionado no início do artigo, a masturbação é um hobby que pode e deve ser realizado tanto por solteiros quanto por comprometidos. Uma pesquisa revelou que casais que estão juntos há muito tempo e se dizem felizes e satisfeitos com o sexo e o relacionamento como um todo também se masturbam. Isso demonstra uma revolução de pensamento e uma mudança de panorama.

Nos últimos anos, a masturbação sofreu uma mudança de julgamento devido aos muitos autores que retratam e abordam o tema em seus livros sobre sexualidade e alguns programas de TV que também se propõem a falar sobre o assunto de forma mais aberta, livre de tabus.

Por este motivo, boa parte das pessoas mudaram seus julgamentos e a masturbação deixou de ser vista como um ato repugnante e ruim, para ser visto como uma ação saudável para o ser humano, em busca da sua individualidade e do prazer. As pessoas que se masturbam mesmo casadas afirmam que não se trata da falta de um parceiro sexual presente, mas sim de buscar uma satisfação individual também. Muitas mulheres disseram que poderiam ter todos os homens do mundo, mas não deixariam de se masturbar nem abririam mão dos brinquedos eróticos.

O problema é que o conhecimento sobre a masturbação do parceiro pode gerar crises no relacionamento. Se os casais não estiverem muito conectados, cientes e com a mente aberta para isso, pode ser que se tenha a sensação de que existe rejeição e de que o parceiro não sacia todas as necessidades do outro, etc. Isso é, na verdade, uma grande besteira.

Claro que realmente pode ser estranho saber que sua esposa diz que vai dormir cedo para se masturbar ou que o seu marido ficou trancado no banheiro mais de meia hora fazendo sabe-se lá o quê, mas é completamente natural cada um ter seu espaço e tempo para se divertir como quiser, nem que seja se masturbando. Isso não significa menos amor ou rejeição, frieza e muito menos traição, apenas que cada um deve preservar sua individualidade mesmo quando casados e o outro deve aprender a respeitar, sem se magoar.

Aliás, a masturbação pode ser inclusive benéfica para o casal, sendo que cada um pode aliviar as tensões do dia se satisfazendo, sem descontar seu estresse em cima do outro. Por isso, o relacionamento pode se tornar bastante saudável com a prática. Outro benefício é que não existe aquela exigência ou obrigatoriedade para fazer sexo. Se um quiser e outro não, tudo bem, o que está no clima pode procurar se satisfazer sozinho por métodos próprios, ninguém é obrigado a ceder apenas para satisfazer o outro, isso é inclusive o que acaba com boa parte dos relacionamentos quando se trata de sexo.

A questão é aceitar o ato como natural e saber que isso não anula um relacionamento feliz. Aliás, a ação não precisa ser realizada às escondidas, quanto mais sincera e explícita, melhor (obviamente com a privacidade que cada um deseja). E se por um acaso um dos dois estiver se sentindo excluído, basta participar e entrar na brincadeira, por que não? Com certeza o outro ficará muito feliz.

RECOMENDADOS PARA VOCÊ

Você e seu parceiro têm o costume de se masturbar sem maiores problemas de ciúmes do outro? Qual é sua opinião sobre o assunto? Comente abaixo.

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (3 votos, média: 3,67 de 5)
Loading...

9 comentários

  1. eu gosto de me masturbar para o meu namorado, e ele adora assistir

  2. Também adoro ver minha mulher masturbar, da mto tesão. Fazemos sempre.

    • Eu e minha namorada também fazemos sempre. Depois de uma deliciosa preliminar, com muitos beijos e carinhos, preferimos terminar com cada um masturbando a si mesmo diante do outro em que, respeitosamente, eu não a penetro. Ela tem vários orgasmos e às vezes usa um vibrador.

      • Eu e meu marido também estamos experimentando os prazeres do sexo sem penetração optando por nos masturbar um para o outro e tenho atingido orgasmos maravilhosos e sentindo o tesão aflorar mais vezes. No começo foi um pouco difícil porque eu estava acostumada com a maneira convencional de transar e subia pelas paredes. O vibrador, coisa que eu não conhecia, ajudou a lidar com isso. Adoro ver ele se tocando e demonstrando toda a sua virilidade. Fico toda arrepiada quando ele goza e fico ainda mais instigada.

  3. Sou louco pra fazer sexo a três, como faço para convencer a mulher? Gostaria de receber dicas dos leitores.

  4. Gostei quando o texto diz no finalzinho que “a ação não precisa ser realizada às escondidas”. Pois, aos poucos, verificamos que a masturbação a dois vai integrando as experiências dos casais nos mais diversos momentos. Seja quando estão distantes fisicamente um do outro por meio de uma câmera de vídeo ou ainda presencialmente, oportunidade em que se possibilita tanto a observação do outro se masturbando, o prazer de estar se exibindo na frente do parceiro ou da parceira, bem como poder masturbar ou ser masturbado(a) sem que precise acontecer a penetração. Esta pode acontecer ou não e, neste caso, a masturbação já não seria mais uma preliminar e menos ainda algo solitário, porém uma forma de sexo que, inclusive pode ser considerada umas das mais seguras. Mais até do que uma penetração com o uso da camisinha.

Deixe uma resposta

Seu email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *

*