Casal sexy

5 Coisas que Você Provavelmente Não Sabe Sobre Sexo Anal

Nós fomos assistir à exposição “Sexo anal ao longo dos séculos” no Museu do Sexo da Cidade de Nova York, e é desnecessário dizer que essa viagem foi realmente surpreendente, afinal, você deve ter imaginado isso.

De fato, na maioria dos aspectos, essa exposição no Museu do Sexo da Cidade de Nova York era muito parecida com qualquer outra exposição de qualquer outro museu: havia informações sobre culturas antigas, bem como artefatos inestimáveis ​​em exibição, mas neste caso, todas as exibições foram centradas em torno de uma coisa: o sexo anal.

Apresentada pela empresa “Butt plug”, a exposição nos ensinou que o sexo anal já existe desde tempos imemoriais, começando pela antiga civilização Moche do Peru. Mas enquanto algumas culturas sempre lidaram com o sexo anal como algo “comum”, no mundo ocidental atual o sexo anal ainda é considerado um tabu, com apenas 44% dos homens heterossexuais e 38% das mulheres heterossexuais dizendo que o tentaram fazer ao menos uma vez.

Claro, o anal não é para todos, mas um breve vislumbre da história do sexo anal – como uma forma de controle de natalidade, como uma fonte de inspiração artística, e como um ato favorecido durante as orgias das girafas (sim, as girafas fazem orgias do mesmo sexo) – prova que o assunto está mais difundido do que você pensa. Aqui estão 7 coisas que você provavelmente não sabia sobre sexo anal e que aprendemos com essa exposição do Museu do Sexo de Nova York.

1. O sexo anal já era praticado por culturas antigas milhares de anos atrás

Os Moches do antigo Peru, uma cultura que prosperou entre o primeiro e o oitavo séculos antes de Cristo, consideravam o sexo anal não apenas uma maneira normal de se fazer sexo entre dois adultos, mas um ato sexual com vários benefícios para a saúde.

De fato, a cerâmica Moche descreve o sexo anal mais do que descreve o sexo vaginal. Os historiadores acreditam que isso ocorre porque os Moches usavam o sexo anal como meio de controle de natalidade, mas evidências também sugerem que eles acreditavam que o esperma era uma força vital que poderia aumentar a produção de leite materno. Portanto, depois de ter um filho, os casais heterossexuais o fariam pelo bem do bebê. Interessante, não?

2. O sexo anal também já existia na Grécia e Roma antiga

O sexo anal foi praticado abertamente na cultura grega e romana, mas apenas entre um homem adulto e um menino mais novo como uma forma de “mentoria”. Essas relações eram particularmente comuns nos meios militares, onde a bissexualidade masculina era considerada a norma.

O sexo anal também era uma prática comum para casais heterossexuais na noite de núpcias (também para fins anticoncepcionais). Dito isto, mesmo que o sexo anal ocorresse a portas fechadas entre gregos e romanos, ele ainda era visto como um tabu nessa sociedade, sendo realmente socialmente aceitável apenas entre um homem adulto e um menino mais novo (geralmente um escravo ou militar).

3. Mesmo as grandes civilizações antigas entendiam a importância de usar o lubrificante durante o sexo anal

Se você já fez sexo anal, sabe que o lubrificante é crucial, e os gregos intuitivamente entenderam isso. Evidências de cerca de 350 anos AC. sugerem que os gregos usaram o azeite como lubrificante durante o sexo anal.

Por mais que seja curioso eles terem a ideia certa sobre a importância de se lubrificar na hora do ato, é importante notar que você definitivamente não deveria usar o azeite para fazer sexo anal, ou qualquer lubrificante à base de óleo.

O óleo de coco, o azeite, ou quaisquer coisas feitas com óleo não são compatíveis com os preservativos de látex, por isso prefira um lubrificante à base de água ou de silicone. Ambos são compatíveis com látex e são ótimos para o sexo anal.

4. Os animais amam sexo anal (e eles estão muito mais tranquilos com isso do que os humanos)

Pesquisadores de campo dizem que girafas, golfinhos, baleias, baleias cinzentas e macacos bonobos não só fazem sexo anal, como também fazem orgias masculinas e sexo lésbico.

Além desses animais citados, é amplamente conhecido que a maioria dos animais faz sexo anal e tem relações homossexuais normalmente, e isso provavelmente nos deixa pensando que sim, isso é algo normal, e os tabus da sociedade foram criados por poucas pessoas poderosas que, bem, não sabiam do que estavam falando.

5. A bíblia não exatamente proíbe o sexo anal

O termo sodomia tem sido historicamente utilizado para descrever o sexo anal e oral, e de fato esse termo se originou da Bíblia: o termo, que significa “relações sexuais não naturais”, vem de Gênesis 19, mais conhecido como a seção sobre Sodoma e Gomorra.

Os estudiosos sugerem que os moradores de Sodoma, também conhecidos como “Sodomitas”, estariam matando e estuprando anjos, e é por isso que a sodomia foi pensada como sinônimo de sexo anal, mas o sexo anal em si nunca foi explicitamente mencionado na bíblia. Porém, isso pareceu uma ótima desculpa para os puritanos de plantão para proibir o sexo anal e oral, utilizando uma leitura um tanto controversa da bíblia.

Controvérsias à parte, é importante notar que, quando praticado entre dois adultos, o sexo anal pode ser incrivelmente seguro e prazeroso, independentemente do seu gênero ou orientação sexual. Se você tem vontade de tentar, na hora de experimentar certifique-se de que seu parceiro use um preservativo com bastante lubrificante (mas não use azeite, por favor).

Você e seu parceiro costumam fazer sexo anal com certa frequência? Se não, ao menos já experimentar alguma vez? Comente abaixo!

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (12 votos, média: 4,25 de 5)
Loading...

Um comentário

  1. Sim práticamos frequentemente, já estamos juntos a 15 anos e no início nao fazianos começamos a praticar a uns 5 anos não sei dizer se melhorou o relacionamento mas na maioria das vezes é muito prazeroso.

Deixe uma resposta

Seu email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *

*