Término de relacionamento

4 Ações que Provocam uma Iminente Ruptura Amorosa

De acordo com vários estudos realizados relacionados com a paixão, o antigo e o novo paradigma do amor e os vínculos amorosos, há uma série de comportamentos que podem facilitar uma ruptura iminente se não forem resolvidos. Por isso, veja agora quais são as 4 ações que provocam uma iminente ruptura amorosa.

A complexidade dos relacionamentos pode ser algo esmagador. Às vezes, pode desencadear brigas fortes e violentas ou simplesmente um distanciamento emocional e dificuldades de comunicação. 

Há momentos em que você pode promover a aprendizagem mútua para melhorar o relacionamento, no entanto, a repetição de certos padrões pode levar a uma ruptura dolorosa, triste e caótica. 

De acordo com vários estudos, há uma série de comportamentos que podem facilitar uma ruptura iminente se não forem resolvidos. Agora, você verá uma lista desses fatores que podem levar a uma separação ou até mesmo o divórcio. São eles:

1. Casar-se durante a adolescência ou depois dos 32 anos de idade

De acordo com Nicholas H. Wolfinger, autor de uma pesquisa realizada pela Universidade de Utah nos Estados Unidos, existe uma aparente correlação entre idade, divórcio e risco de divórcio. 

“Quanto mais velhas as pessoas, menores são as chances de divórcio” disse o pesquisador. No entanto, de acordo com os seus dados, os adultos com mais de 32 anos de idade têm um alto risco de separação em comparação com aqueles que se casam ou vivem como um casal desde a segunda metade dos seus 20 anos de idade. 

Isso ocorre porque, na adolescência, o primeiro amor costuma vir acompanhado de ciúmes, insegurança, pressão de pais e amigos, dúvidas sobre o futuro escolar ou profissional e pouco desenvolvimento de ferramentas para viver como um casal e alcançar um bem-estar comum; enquanto que na idade adulta (apesar do fato de que nesta etapa há um maior nível de maturidade e estabilidade econômica), está relacionada a uma maior solução de personalidade e padrões de comportamento que tornam difíceis os acordos de convivência.

2. Um dos dois não possui um trabalho de período integral

De acordo com um estudo realizado por Alexandra Killewald, da Universidade de Harvard, Estados Unidos, o excesso de tempo ocioso está relacionado a uma alta incidência de divórcio ou ruptura. 

Ou seja, ao não concentrar o seu tempo, energia e esperanças em um projeto pessoal, muitas pessoas que enfrentam o desemprego podem apresentar sintomas de depressão e sérios conflitos no relacionamento do casal. Há aqueles que relacionam esse fator com a infidelidade. 

Além disso, Killewald descobriu que 2,5% das pessoas cujo parceiro – principalmente homens – não tem um emprego de tempo integral passam por um divórcio ou separação por ano.

3. Ter os ensinos interrompidos (principalmente do ensino médio ou fundamental)

Usando a informação do National Longitudinal Survey of Youth de 1979, existe uma correlação entre casamento, divórcio e educação. Embora os dados estejam marcados por idade, gênero e raça – principalmente de origem hispânica e nível educacional –, descobriu-se que um casal com um alto nível educacional é mais propenso a ficar junto em comparação com um casal com níveis educacionais diferentes ou nulos. 

4. Ter atitudes de desprezo, crítica, agir de forma defensiva ou fazer a “lei do gelo”

Em uma pesquisa longitudinal – de 14 anos de duração – com 79 casais dos Estados Unidos feita pela Universidade da Califórnia em Berkeley, foi comprovado o efeito negativo desses comportamentos em um relacionamento de longo prazo.

A longo prazo, tais comportamentos produzem consequências psico-emocionais na pessoa que recebe o desprezo, crítica constante, má comunicação e agressão psicológica, verbal ou física. Isso inclui fugir durantes brigas ou conflitos sem alcançar uma comunicação empática e assertiva. 

Por outro lado, existem atitudes que promovem a duração do relacionamento do casal, como por exemplo: carinho mútuo, uma atitude pró-ativa em relação à união de um “nós”, atenção e compreensão do casal, cumprir com os acordos estabelecidos no relacionamento, realizar projetos pessoais que ambos são apaixonados e compartilhá-los para sentir o apoio mútuo, entre outras coisas.

Essas são as 4 ações que provocam uma iminente ruptura amorosa. Agora que você já as conhece, vale a pena evitar se quiser ter um relacionamento duradouro.

Você consegue enxergar em seu relacionamento uma dessas ações que provocam uma iminente ruptura? Pretende mudar algo? Comente abaixo!

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (2 votos, média: 5,00 de 5)
Loading...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *