Contas do casal

19 Maneiras de Ajudar o Seu Parceiro Se Ele Perder o Emprego

O desemprego repentino pode ser algo devastador, mas ele não tem que prejudicar o seu casamento.

De acordo a uma pesquisa realizada pela sociedade sem fins lucrativos sediada na cidade de Nova York National Employment Law Project – Projeto Nacional de Lei do Emprego, quase três quartos dos americanos desempregados dizem que o estresse familiar é maior, uma vez que algum membro perdeu o emprego.

Uma em cada três pessoas disseram que ela ou outro membro da família teve que parar os estudos, e um em cada quatro teve que se mudar para readequar suas despesas.

O desemprego pode acabar com os planos de começar uma família, adiar a aposentadoria, forçar um dos cônjuges a trabalhar por longas horas, e criar uma série de desafios inesperados em sua casa.

O parceiro que perdeu o emprego pode se sentir solitário ou deprimido; pode ressentir-se por seu cônjuge ter que fazer horas extras no trabalho, ou se sente encurralado pela súbita mudança. O equilíbrio de poder pode mudar. E questões como quem tem que ficar responsável por tirar o lixo ou quem faz o jantar, por exemplo, podem tornar-se campos de batalha.

Quando pesquisadores britânicos entrevistaram 24.000 pessoas de diversos países que não estavam trabalhando, descobriram que o desemprego teve um efeito profundo e maior em relação ao bem-estar da pessoa e seus familiares do que em relação ao divórcio ou viuvez.

“Durante muitos dias, eu senti que tinha a palavra ‘perdedor’ tatuado na minha testa e ‘trabalhará para comer’ tatuado no meu peito””, disse Birkel. “Mas parentes, amigos e todos os outros não podiam ver as minhas tatuagens porque elas realmente não existiam!”

Seu casamento pode ser uma fonte de força e apoio durante o desemprego, e estes passos podem ajudá-lo a vencer as armadilhas, focar nos verdadeiros valores do seu relacionamento, e ficarem ainda mais próximos.

1. Escolha a melhor hora para conversar

Deixe para conversar sobre isso com o seu parceiro quando estiverem bem descansados, alimentados e que não haja nenhum tipo de distrações.

2. Revezem-se na hora de ouvir e falar

Descreva para o seu parceiro o que você mais quer na vida que o dinheiro pode comprar e quais são seus maiores medos em perder o poder de ter essas coisas. Ouça sem julgar quando o seu parceiro for fazer a mesma coisa.

Você pode olhar nas faturas do seu cartão de crédito ou talão de cheque caso precise refrescar a sua memória. “O seu parceiro não deve tentar concordar ou discordar neste ponto” diz o Dr. Goldbart . “O objetivo é colocar tudo na mesa.” Fale sobre o que o dinheiro significa para você: Diversão? Segurança? Poder?

3. Defina metas em comum

Monte uma lista com as preocupações e valores que vocês dois compartilham de verdade, além de uma lista de objetivos importantes que não compartilham. Fale sobre como você irá realizá-los tendo os recursos limitados, e o que é mais importante, como irão pagar as prestações da casa? O que é menos importante, como as férias que pensavam tirar? O que você pode fazer de alguma forma para economizar?

4. Proponha um orçamento

Não assuma que irá conseguir um novo trabalho que lhe pague a mesma coisa dentro de um mês. Espere estar desempregado por no mínimo seis meses e decidam isso em conformidade. Quanto tempo irá receber seguro desemprego? Se tiver sorte, quanto tempo a indenização que recebeu do seu antigo trabalho irá durar? Em que consegue economizar? Quais são suas economias para emergências em que poderia mexer em último caso?

Olhe para seus gastos ao longo dos últimos meses e pesquise a sua vida financeira: Quais as contas que são custos fixos, como sua hipoteca, pagamento do carro, etc.? O que você poderia cortar em caso de necessidade, tais como uma mudança para um plano de telefone ou celular mais barato? Você consegue negociar com algum dos seus credores?

5. Cheque como cada um se sente

Acabe com a discussão perguntando uns aos outros como se sentem a respeito das decisões. Agradeça pelos sacrifícios que estão fazendo por você, bem como os compromissos que foram acordados. Comprometa-se a voltar a conversar em algumas semanas para que todos saibam como as coisas estão avançando e todos se sentirem confortáveis.

6. Mantenha-se positiva

Se alguma vez houver um momento de boa parceria e comunicação, será quando um de vocês estiver à procura de um novo trabalho. É neste momento que você deve se manter positiva para trabalharem juntos da melhor maneira possível.

7. Entrem em um acordo a respeito dos parâmetros na busca do novo emprego

Se aparecer uma oportunidade de trabalho melhor em outra cidade ou estado, a família estaria disposta a se mudar? E se há probabilidade de um novo trabalho no turno da noite, ou que exija viagens com frequências? É essencial que o seu próximo emprego ofereça plano de saúde?

É melhor falar sobre essas coisas, sobre os parâmetros de que tipo de trabalho deve-se ou não procurar logo no início, já que às vezes uma mudança de emprego pode afetar toda a família e ser até traumática caso todos não estejam de acordo que essa é a coisa certa a se fazer.

8. Conversem sobre a possibilidade de você trabalhar em casa

Mais e mais pessoas hoje em dia estão sendo contratadas de forma independente. Se esta é uma possibilidade para você, converse sobre isso cuidadosamente com o seu cônjuge. Existe espaço em sua casa para abrir uma loja? Você pode chegar a ganhar o suficiente para compensar o salário e os benefícios que ganharia trabalhando em uma empresa? É realista pensar que isso dará certo? Sua personalidade se encaixa neste estilo de vida? A sua família consegue lidar com isso, caso você tenha que trabalhar mais horas do que o normal ou ter que viajar com muita frequência?

9. Cheguem a um acordo em relação à estratégia de procura de emprego

Voltar pra casa depois de um dia de trabalho e encontrar o seu parceiro em frente à televisão, jogando vídeo game ou jogos no computador, com a pia cheia de louças, a casa bagunçada, entre outras coisas, pode fazer com que o que você fique irritada, sinta raiva ou ressentimento.

Ao mesmo tempo, ficar questionando-o com frequência, como por exemplo o que ele está fazendo, quantos currículos enviou, quantos telefonemas fez hoje ou algo assim, pode facilmente desencadear os mesmos sentimentos nele.

O que fazer? Montem uma estratégia de busca de emprego. Converse com o seu parceiro. Quanto tempo ele irá gastar com isso todos os dias, e quanto tempo irá gastar em outras atividades, como exercício físico, relaxamento, afazeres domésticos, etc?

10. Não fique brava ou interrogando

É fácil deixar que as preocupações com as finanças ou dinheiro machuque os sentimentos bons que existem entre vocês. Os casais que lidam com o desemprego precisam de apoio e encorajamento um do outro mais do que nunca. No entanto, vocês podem ficar presos a um padrão de comunicação infrutífera, fazendo com que o parceiro desempregado fique cada vez mais na defensiva e até mesmo deprimido, sentindo-se pressionado com as perguntas da quantidade de currículos que enviou, o que fez, quantos anúncios de emprego respondeu, etc.

Se o seu parceiro está se esforçando para encontrar um trabalho, confie nele; agora, se alguma coisa não está indo muito bem, aborde a questão em um tom suave.

Encontre um momento de silêncio e tranquilo e fale sobre o que você observou, como por exemplo: “Percebi que você não me falou ultimamente sobre a sua busca de emprego, o que está acontecendo?” Pergunte como ele está se sentindo, se ele está se sentindo preso, seja por baixa autoestima ou porque suas perspectivas de encontrar um trabalho estão se esgotando ou se esgotaram.

Se esse for o caso, é hora de discutirem novas táticas, talvez um emprego de meio período, independentemente da remuneração, ou se vale a pena tentar uma agência de empregos ou alguma outra coisa.

11. Reúnam-se semanalmente para se atualizarem

Birkel sugere que vocês deixem um horário específico a cada semana para avaliar o que está acontecendo devido ao desemprego. Isso faz com que os dois não acabem discutindo o tempo todo, todos os dias, sobre isso.

Esta reunião também é um bom momento para ambos falarem sobre o orçamento doméstico e sobre os sentimentos de cada um frente a essa mudança. Ambos precisam de uma chance para compartilhar os medos, preocupações, ansiedade e quaisquer outros problemas e sentimentos devido a essa experiência.

12. Tente enxergar o lado positivo

Às vezes, a perda do emprego é uma boa oportunidade. Todo mundo conhece pelo menos uma pessoa que já passou pelo teste da perda de emprego e saiu dizendo: “Foi uma das melhores coisas que poderia ter acontecido.”

Por que? O desemprego pode te dar a oportunidade de ficar em casa com uma criança, ou estar presente quando seu filho adolescente chega da escola. Perder um emprego também pode lhe dar a oportunidade de sair daquele trabalho que não gostava, que não lhe dava oportunidade para crescer, e explorar outras oportunidades.

13. Pergunte como você pode ajudar

Chegar toda entusiasmada para ajudar o seu parceiro pode parecer uma ideia legal, mas um cônjuge desempregado pode não entender isso da melhor maneira, e todo o entusiasmo pode acabar causando tensão.

Em vez disso, aborde o seu parceiro como se fosse um amigo ou um colega: que ele sabe que está tudo bem em negar a sua ajuda. Pergunte se ele gostaria que você fizesse alguma coisa para ajudar. Esta abordagem deixa o seu parceiro sob controle.

14. Seu otimismo

Duas coisas que costumam desaparecer quando se perde um emprego: o feedback positivo do trabalho e o sentimento de realização. O cônjuge de uma pessoa que está procurando emprego pode substituir alguns desses bons sentimentos agindo de maneira positiva quanto às perspectivas do candidato a um emprego, reafirmando que ele é amado profundamente e enfatizando todas as suas qualidade, contribuições não-financeiras que ele faz para o casamento, a família, o lar, etc.

15. Junte-se a um grupo de apoio

Ter um lugar para desabafar e encontrar um terreno emocional comum com outras pessoas que estão passando pela mesma coisa pode poupar o seu casamento de algum desgaste emocional e brigas, diz Birkel. Os grupos de apoio são especialmente bons para os homens que guardam seus sentimentos até atingirem o ponto de ruptura, popularmente falando “explodirem”, e para aqueles que não conseguem parar de falar sobre isso.

Este apoio extra pode tirar um peso e dar a vocês uma oportunidade de se conectarem com outras coisas além da perda do emprego.

Seu trabalho e seu salário não eram as únicas coisas que fizeram com que a família o amasse, ou que você apreciava. Fujam dos sentimentos negativos e voltem a se reconectar com os positivos.

16. Saia de casa

Ficar em casa o tempo todo só irá deixá-lo pior. Não renunciem a todos os prazeres: em vez de sair para um restaurante chique, saiam para comer uma pizza ou para fazer um piquenique em um belo parque local.

Birkel recomenda que os casais e famílias mantenham-se mais do que nunca unidos nessas horas, e não fiquem se privando de tudo. “Lembro-me de um sábado, quando eu estava desempregado, e minha família precisava ficar longe dos problemas. Nós estávamos com pouco dinheiro, então fizemos alguns sanduíches e fomos para um parque nas redondezas. Minha esposa, filha, filho, e eu apreciamos a paisagem enquanto mastigávamos nossos sanduíches, empinando uma pipa que nunca tínhamos usado antes. Isso acabou sendo um dos melhores dias que me lembro.”

17. Sinta-se abençoada

Você não se casou com seu marido por causa do seu contracheque ou o status de trabalho. Dê um passo para trás e tenha uma perspectiva sobre as coisas boas em sua vida: seu casamento, seus filhos, sua casa, sua saúde, seu senso de humor. Da mesma maneira que você não precisa de dinheiro para ter um momento agradável, você não precisa dele para ter uma vida boa. Considere fazer uma lista diária de coisas que você é grata.

18. Lembre-se que isso é temporário

O seu parceiro irá encontrar um emprego. Esta é uma situação de curto prazo, e quando isso for resolvido, todas as tensões vão embora.

19. Fazer mais exercícios físicos

Sair de casa para uma caminhada, encontrar algum tempo privado para levantar pesos ou fazer exercícios irá liberar o estresse, aumentar o humor, e ajudá-lo a sentir que conseguiu alguma coisa.

RECOMENDADOS PARA VOCÊ

Você já passou por essa situação difícil de estar casado com uma pessoa que ficou desempregada? Como foi essa situação, o que vocês fizeram para passar por ela? Comente abaixo!

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (1 votos, média: 5,00 de 5)
Loading...

Deixe uma resposta

Seu email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *

*