Casal de mudança

Morar Junto – 7 Coisas Que Você Precisa Saber Antes de Aceitar

Morar junto pode ser o sonho de qualquer casal apaixonado e parece ser lindo na imaginação, mas saiba que muitas coisas podem mudar ao tomar decisão. Inclusive, você precisa estar ciente de várias coisas antes de aceitar morar junto, pois o amor não basta para que vocês sobrevivam e se tolerem em um mesmo espaço por muito tempo.

O amor é importante sim, claro, mas existem outras condições para aceitar morar junto que devem estar bem esclarecidas antes de você empacotar as coisas. Assim como você pode ter problemas morando com família ou amigos, também terá problemas morando com seu parceiro. Não se iluda achando que vocês são perfeitos um para o outro, pois morar com outra pessoa diferente de você sempre será estressante, o que você precisa ter é tolerância e respeito para viver com tranquilidade.

Veja abaixo as coisas que você precisa saber antes de morar junto.

1. Atividades domésticas

Já foi-se o tempo em que a mulher fazia todas as atividades domésticas sem ajuda dos homens. Hoje isso mudou e o homem tem um papel importante na casa e responsabilidades no que se refere à divisão de tarefas.

Você precisa saber se ele realmente ajuda ou é daqueles que espera os outros fazerem. Se ele está acostumado à mãe dele lavar suas próprias roupas, se ele nunca pegou em uma vassoura, nem nada, dificilmente irá adquirir esses hábitos apenas para te fazer feliz. Tenha certeza disso antes de aceitar morar junto, principalmente se você não quiser ficar limpando a casa/apartamento todo dia.

Vocês dividindo as tarefas e revezando pode ficar mais tranquilo para os dois. Se for preciso, façam um quadro que explicite isso e colem na geladeira. Se tiverem dinheiro, vocês pode contratar uma diarista, isso resolve parte dos problemas.

2. Cozinhando

Cozinhar se insere dentro das atividades domésticas, mas não é algo que não pode ser simplesmente feito por uma diarista ou revezado tarefas, pois existem outros fatores envolvidos. Dificilmente vocês terão uma cozinheira à disposição para vocês, além disso, ao sair de casa não tem mais nada a ver levar comida congelada da mamãe. É preciso se virar. É importante que ao menos um dos dois goste e saiba cozinhar, pois se não vocês viverão de delivery e comendo fora, e não há saúde nem bolso que aguente isso. E se vocês não se alimentarem direito o mau humor irá reinar no lar.

Se os dois cozinharem bem, perfeito, basta revezar, caso contrário, um pode cozinhar enquanto o outro se compromete a lavar a louça. Isso evita estresse e todo mundo faz o que gosta ou o que sabe.

3. Autonomia financeira

Este talvez seja o quesito mais importante para decidir morar junto. Seu parceiro e você têm um trabalho fixo, com um salário em dia e tudo mais? Ganham o suficiente para cobrir as despesas da casa, pagar as dívidas individuais e ainda sobra para lazer? Caso contrário, melhor nem se comprometerem com isso, pois terão muita dor de cabeça.

Ninguém gosta de viver no sufoco e crises financeiras sempre são uma das principais razões de separações e divórcios. Não se trata de interesse, apenas de um equilíbrio saudável, em que ambos dividam as despesas sem sobrecarregar o outro e ainda disponham de capital para se divertir, pois ninguém é de ferro, certo?

4. Responsabilidade

Não basta ter dinheiro se ele for um irresponsável. Se ele ganha bem mas gasta todo o dinheiro dele com roupas, baladas e vídeo game, fica difícil conviver e tolerar mesmo. Ele precisa saber os dias de vencimento das contas e se antecipar, se programar para arcar com a parte dele sem trocar os pés pelas mãos.

Ele deve estabelecer prioridades, pois isso demonstra maturidade. Nada impede que ele faça o que bem entender com o dinheiro dele, mas os gastos com moradia, energia elétrica, gás e alimentação devem vir em primeiro lugar quando se decide morar junto.

5. Paciência

A tolerância é uma virtude para quem começa a morar junto. Se os dois viverem se estressando com as manias do outro, não há quem sobreviva. Você precisa ser paciente e precisa saber se ele também é, respeitando suas manias, seu espaço, tudo mais. Vocês devem cultivar a paciência diariamente.

Tentar moldar a outra pessoa é a pior coisa que você pode fazer. Não tente fazer com que o seu parceiro faça suas vontades, exigindo certas coisas que não correspondem com a realidade, vontade e perfil dele. Se ele quiser fazer o mesmo com você, isso não dará certo. Cada um deve se sentir à vontade dentro da própria casa, com liberdade para fazer as coisas que bem entender no seu tempo, desde que isso não interfira no bem estar do outro.

6. Individualismo

Preservar o individualismo é muito importante para casais que decidem morar junto. Claro que, à princípio, pode parecer uma alegria, um conto de fadas ter o seu parceiro ali sempre próximo a você para vocês usufruírem de todo o tempo juntos, se amando loucamente como se estivessem em lua de mel. Se isso ocorrer de comum acordo, tudo bem, mas com o passar do tempo isso vai se perdendo, o que é natural. Isso não significa que vocês não se gostam mais, apenas que cada um quer reconquistar seu espaço e sua individualidade.

Por isso, é importante cultivar isso. Vocês não precisam fazer tudo juntos. Você pode muito bem fazer o que gosta sozinha e ele também. Se ele quer ver um filme, você pode ir ler um livro. Se você quer caminhar, ele pode ir dormir no meio do dia, não existe regra, deixe que o seu parceiro faça o que quiser sem impor regras ou ficar grudada. Isso é o que irá manter a harmonia da casa e o relacionamento saudável.

7. Ciúmes comedidos

Sentir ciúmes da pessoa amada é um sentimento natural, mas pense nisso antes de se mudar com seu parceiro. Se já morando separados ele tiver crises de ciúme e causar problemas apenas por um cara olhar para você e coisas do tipo, isso provavelmente só irá crescer na convivência diária.

Com a intimidade ele irá saber de coisas que antes poderia não saber, como por exemplo, ele pode ter crises por você receber um amigo em casa ou não querer permitir que você saia na companhia das amigas sem a presença dele e coisas do tipo. Essa atitude nunca é bem vinda e se ele for impulsivo e ciumento, a chance de vocês viverem brigando e em pé de guerra é quase certa.


Você já começou a morar junto com o seu parceiro? Como foram os primeiros dias e meses? Vocês demoraram a se adaptar? Quais foram as maiores dificuldades? Comente abaixo!

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (4 votos, média: 4,00 de 5)
Loading...

RECOMENDADOS PARA VOCÊ

VÍDEOS RELACIONADOS


publicidade

Um comentário

  1. Gostei muito da materia fico feliz por saber não vou ter tantos problemas com meu parceiro já que os problemas apontados é algo incomum na nossa relação (menos o ciumes, que é da minha parte rsrs) o problema na relação não é o ciúme é como você vai lhe da com isso é claro que para um ciumento é dificil ser friu nesse momento mais é bom se colocar no lugar do outro e saber quanto esta exagerando ou não e quado for algo serio conversa, não brigar pois foi conversando que passamos 1ano e 2meses sem nem uma briga e nos vemos praticamente todos os dias (os pais dele dis que já somo praticamente casados rsrs)

Deixe uma resposta

Seu email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *

*